Espiritualidade

Como conquistar o seu maior inimigo: você

Muitas vezes culpamos forças externas por nossa incapacidade de sentir a verdadeira felicidade. Quando é claro que a fonte para a insatisfação é sempre muito mais próxima de nós.



Leia a transcrição de um vídeo de 5 minutos de Dalai Lama que explica por que precisamos estar em paz com nós mesmos, a fim de alcançar a felicidade duradoura:

“Então, o importante é a emoção aflitiva.

Emoções aflitivas são as principais inimigas; ou a fonte do sofrimento. Uma vez desenvolvidas emoções aflitivas dentro da nossa mente, eles destroem imediatamente a nossa paz de espírito e, eventualmente, a nossa saúde. Elas também destroem a nossa amizade com outras pessoas.


Então, todas essas atividades negativas, como matar, o bullying… Surgem a partir dessa emoção aflitiva.

Então essa é a verdadeira inimiga. A destruidora de nossa paz. A destruidora da nossa fortuna, e até mesmo da nossa saúde.

Um inimigo externo hoje, talvez, possa ser prejudicial para você, mas no dia seguinte, pode ser muito útil. Mas o inimigo interior, onde quer que viva, está sempre lá.

De um inimigo externo, podemos escapar. Mas o inimigo interno está com você aonde quer que vá. Portanto, este é o ponto de agora; temos de perceber isso.


Então veja, o real destruidor de nossa felicidade está sempre lá … mas o que vamos fazer agora?

Se houver, vamos dizer, baixa possibilidade para você trabalhar com isso, então é melhor esquecer. Há coisas melhores!

Mas, se existe a possibilidade de eliminar o inimigo, então eu acho que nós devemos aproveitar esta boa oportunidade – este é o corpo humano, o cérebro humano, o bom coração humano.Junte essas três coisas e tente reduzir e eventualmente até eliminar o inimigo interior.

De acordo com os ensinamentos budistas, um corpo humano é precioso. Por que? Por causa da inteligência humana, e na concepção de mudar a nossa mente; não só através da emoção, mas, principalmente, através do intelecto e raciocínio.


Então, quando você conecta seu intelecto, raciocínio e emoções positivas (como compaixão, perdão e amor incondicional), você pode moldar o mundo interior.

Por muito tempo, estamos sob o controle do inimigo (o nosso sofrimento, emoções negativas), e não há alguma felicidade permanente. Mas uma vez que você desenvolver algum profundo desejo de superar esse inimigo, que é a verdadeira realização da aspiração de buscar a liberdade, o que é tecnicamente chamado de renúncia na linguagem budista.

Então você vê, esta prática (o nosso mundo interior) é a prática fundamental. ”

Por favor, compartilhe seu modo de centrar sua alma conosco através de comentários.


 

Traduzido pela equipe de O Segredo

Fonte: FinerMinds


Conheça o quarteto da felicidade: dopamina, serotonina, endorfinas e ocitocina

Artigo Anterior

5 passos para atrair o parceiro perfeito

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.