3min. de leitura

Como desperdiçamos vida nos concentrando na falta

Sabe aqueles dias em que estamos focados no desejo de que algo aconteça, que se resolva e se finde ou na falta deste algo que preenche grande parte dos pensamentos? Então, que tal pararmos de vez em quando para encarar esta tal de falta?


A vida é cheia de dores e decepções porque geralmente estamos ligados no que não temos, não alcançamos, não chegou até nós da forma como queríamos.

Um texto da escritora Martha Medeiros intitulado “Definitivo” nos leva a refletir sobre isto. “Sofremos porque esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas”, diz ela.

Há pouco ou nenhum contentamento e gratidão com as coisas que já conquistamos. O mesmo exercício de orar e buscar transformar em realidade nossos anseios, poderia ser feito para agradecer.

O mesmo tempo que dispendemos visualizando as nossas metas e as coisas se realizando deveríamos usar para demonstrar gratidão.

Mágoas, angústias e frustrações pelo que não foi vivido, pelo que não foi alcançado, desfrutado deveriam ser substituídas por risos e sorrisos pelo que já vivemos e experimentamos de bom. Porém, a gente não sabe enxergar a vida por este aspecto.


Estamos amarrados ao tempo que ainda vai levar para algo chegar, se é que vai chegar. Ao trabalho e esforço realizado para tudo ficar bem. Estamos presos a sentimentos não correspondidos, à ingratidão das pessoas, ao que não fizeram por nós, ao que não nos foi dado.

Não agradecemos às pequenas grandes coisas corriqueiras que nos acontecem dia a dia. Ou agradecemos pouco e de forma muito superficial.

Ainda nos perdemos no que já está perdido e não deixamos de lado o que já passou. Estamos presos num passado tantas vezes distantes e o presente se resume em falta de algo o tempo todo: seja tempo, amor, saúde, paz, bens materiais.

Estamos cheios do que nos falta e vazios de tudo o que já temos, e não percebemos. Isto cresce dentro de nós e nos desmerecemos, considerando-nos incompletos, mal-entendidos, desorientados.


Precisamos nos encher do que já temos, mais amor, mais bondade, mais resiliência, prolongar momentos felizes, estender nossas preces de agradecimento, elevar nossa vibração positiva e nos convencermos de que é um desperdício sofrer pelo que ainda não temos.

E como desperdiçamos vida com isto!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.