Como diminuir a ansiedade:



Você quer saber como diminuir a ansiedade? Neste artigo eu vou lhe mostrar o caminho:

Aprender como diminuir a ansiedade, provavelmente, está na lista mental de afazeres de 8 em 10 pessoas. E não sem motivo, nós nunca estivemos mais ansiosos e angustiados do que nos dias de hoje. Nesse artigo, vou mostrar a você alguns caminhos que você pode seguir para, gradativamente e no seu ritmo, descobrir como diminuir a ansiedade e lidar melhor com suas emoções.  

1º Passo de como diminuir a ansiedade: entender o que é a ansiedade

A ansiedade é um foco excessivo no futuro, que nos faz reagir aos nossos pensamentos como se fossem ameaças reais, distorcendo o funcionamento de nosso corpo e nossa percepção da realidade. A ansiedade pode se manifestar de forma saudável ou patológica, dependendo da severidade dos sintomas.

Acredito que podemos concordar que algum nível de antecipação sobre algo que você quer (ou não) que aconteça, é comum e provavelmente até saudável.

Todo mundo fica apreensivo ou nervoso antes de encontrar alguém importante que não vemos há tempos ou antes de uma entrevista de emprego, por exemplo.

A ansiedade deixa de ser uma resposta ‘normal’ a situações que antecipamos, quando ela passa a assumir o controle da forma como lidamos com nossa vida. E mais ainda, quando isso se enraíza tanto na nossa forma de lidar com nossos desafios que nem mais percebemos que tudo nos causa muito mais estresse do que às outras pessoas passando por situações semelhantes.


Os sintomas mais comuns de ansiedade são:

1. Preocupação excessiva que impede você de focar no que está acontecendo

2. Medos irracionais, que não podem ser explicados pelas circunstâncias

3. Tensão muscular intensa e sem motivo específico

4. Indigestão constante, ou mal-estar no estômago

5. Medo intenso de estar em público ou receber atenção de grupos

6. Autoconsciência excessiva, quando se tem a impressão de que ‘todos’ estão prestando atenção em nós

7. Pânico inexplicável

8. Memórias desagradáveis voltando frequentemente

9. Perfeccionismo que atrapalha a sua rotina

10. Comportamentos compulsivos e/ou repetitivos

11. Dúvidas sobre si mesmo, tão profundas, que o impedem de agir

Esses sintomas são os mais comuns entre pessoas ansiosas, mas não só não são os únicos como também não é necessário apresentar todos eles juntos. Como a intenção deste artigo não é que você se diagnostique, mas sim que você descubra como diminuir a ansiedade, reuni sintomas que permitirão a você saber apenas se esse conteúdo se aplica ao que você está sentindo.


2º passo de como diminuir a ansiedade: entender suas causas

Os transtornos de ansiedade podem ser causados por fatores ambientais, biológicos/médicos, traumas, abusos, desequilíbrios na química do cérebro, abuso de substâncias ou uma combinação desses fatores.

O causador mais comum é o excesso de estresse em nossas vidas. Já adianto que ao falar em como diminuir a ansiedade, falaremos de técnicas para lidar com o estresse.

Geralmente, a ansiedade é uma de nossas formas de responder a algo externo, mas há muitos casos em que nossos próprios diálogos internos nos tornam ansiosos ao sempre nos convencer de que há algo errado.


3º passo de como diminuir a ansiedade: o que você precisa fazer

Buscar ajuda profissional

Tanto as pesquisas, quanto a minha experiência mostram que é muito importante buscar apoio profissional, seja com psicólogos ou psiquiatras e, se possível, com os dois. Por mais resistências que você tenha, não existe mágica de como diminuir a ansiedade. Você precisa se perguntar o que é mais importante: continuar acreditando que você está sempre certo ou ficar bem. Se sua resposta for ficar bem, procure um psicólogo e peça indicação de um psiquiatra. Faculdades de Psicologia, tanto públicas quanto privadas, oferecem clínicas onde os alunos de último ano do curso atendem, sob supervisão de Psicólogos experientes, geralmente de graça ou a preços simbólicos. Procure a faculdade mais próxima de você e informe-se. Para conseguir apoio psiquiátrico, procure o posto de saúde mais próximo e saiba onde há atendimento público em sua cidade, ou vá até a faculdade de Medicina mais próxima.


Olhar para sua vida

Sobre o que você costuma estar mais ansioso? Sobre dinheiro? Sobre seu relacionamento amoroso? Sobre sua família?



Observe o que mais o deixa ansioso e pergunte-se que ações mais simples você pode tomar para reduzir sua carga nesse assunto. Do que você precisa abrir mão? O que você precisa fazer menos? Ao que você precisa dar menos atenção?


Diminuir a velocidade

De tudo que eu posso lhe ensinar sobre como diminuir a ansiedade, a maior dica é: respire.

A segunda é: reduza a velocidade.

Quando foi a última vez que você respirou fundo?

Olhe para o que você está sentindo e respire fundo. Mais uma vez. E mais uma. E siga respirando até que o peso comece a reduzir e a situação pareça mais simples.

Respire fundo até o seu mundo interior girar na velocidade ‘normal’.


Abrir mão

Sei que você quer muitas coisas. Sei que você quer tudo para ontem. Ok. Mas se você quer mesmo aprender como diminuir a ansiedade, precisa abrir mão. NADA vai valer a pena se você estiver se sentindo um lixo. Se você estiver doente. Se você não estiver mais aqui.

O que é absolutamente essencial para que você esteja BEM?

Não estou falando de estar satisfeito. Satisfação é papo para outro artigo. Estou falando de estar bem. Abra mão de tudo que não é absolutamente necessário para que você esteja bem. Abra mão mentalmente, dentro de você. Abra mão do APEGO ao que lhe faz mal. E a partir daí a vida vai começar a resolver as coisas para você, aos poucos. Acredite em mim.


Reavaliar o que você consome

Comida. Notícias. Músicas. Companhias. Lugares. Pensamentos.

Você consome todos os dias um monte de coisas que só lhefazem mal. Sem discurso natureba aqui, estou apenas falando de fatos: a maioria do que você consome lhe faz mais mal do que bem.

Se não fosse assim, você não estaria aqui.

Reavalie o que você consome. Faz bem, fica. Não faz bem, sai.

Radical? Talvez.

Mas MUITO eficaz.

Por exemplo, quando eu parei de assistir e ler notícias, uns cinco, seis anos atrás, resisti à beça porque achei que ficaria desatualizado, perdido nas conversas. Não perdi nada, só ganhei. Livrei-me daquela dose diária de negatividade e fiquei livre para descobrir e realizar o que eu realmente quero para mim.

Músicas tristes, pessoas negativas: tudo isso eu fui abrindo mão.

E minha vida foi desintoxicando, os pesos foram diminuindo.

Do que você PRECISA abrir mão para ficar bem?


Buscar direcionamento de quem já passou por isso e superou

Das coisas que mais me ajudaram não só em aprender como diminuir a ansiedade mas a ser mais feliz como um todo, foi buscar o apoio de quem já passou por tudo isso e já superou.

Isso fez toda a diferença para mim e depois que eu comecei a adotar como prática buscar a ajuda de quem já andou na estrada que estou caminhando, economizei tempo e dinheiro.

Espero que este texto tenha ajudado em sua caminhada de busca e realização de suas verdades.

Conte sempre comigo, meu compromisso é apoiá-lo com o meu melhor.






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.