publicidade

Como é ser “muito seletiva” em relacionamentos

“Talvez você esteja apenas sendo muito seletiva”, diz minha amiga indiferente, levando uma garrafa de cerveja aos lábios. Estamos sentadas em um bar de sua escolha, e arejando nossas queixas sobre a vida. Ela é infeliz com sua carreira, ou a falta dela, e eu estou tentando resolver a minha dicotomia pessoal de querer amor e nunca querer conhecer alguém.



“Você sempre foi muito exigente.”

Não é como se ela estivesse dizendo algo que eu não enxergo em mim mesma. Às vezes sinto uma espécie estranha de inveja de tantas pessoas em minha vida estarem em um relacionamento, e começo a me preocupar se meu amor pela solidão é um sinal de que algo está errado comigo. E eu não posso evitar questionar meu próprio comportamento.

Onde foi que eu errei?


como é ser

Eu costumava invejar alguns dos meus amigos e a facilidade com que eles entravam em relacionamentos casuais. Eles não precisavam saber se estavam apaixonados ou imediatamente imaginar um futuro. O primeiro encontro não era algo com o que se obcecar – eles focavam apenas no agora. E o agora era alguém que gostavam e apreciavam.

Nunca entendi como fazer isso. Eu queria dar todo o meu coração, ou nada. Isso não significa que as coisas acabam em casamento ou tatuagens de nomes, mas eu não posso evitar querer olhar para alguém e momentaneamente pensar: “Se o para sempre fosse agora, eu o aceitaria.”


E com certeza, isso acompanha um monte de solidão. Há uma dor surda que vem de conhecer pessoas e nunca sentir muita coisa. Talvez por isso eu parei de querer procurá-la. E parece mesquinho me queixar disso, mas quando me vejo sentada em frente a um homem perfeitamente agradável e bonito e não sinto nada, na verdade estou cheia de um vazio. E o medo do vazio é tudo que vou conhecer.

“Você é muito exigente.”

A verdade é que eu não gosto de dar chances às pessoas. Romanticamente, pelo menos. Estou dentro ou fora. Minha mãe costumava me dizer que era apenas o meu jeito. Não era ruim nem bom, apenas eu.

Ser exigente, seletiva ou qualquer rótulo que te coloquem não significa nada. Padrões elevados, baixos padrões, tudo isso. São apenas frases e palavras que tentam usar para uma explicação. Então, as pessoas podem dizer-lhe que é por isso que você está triste. É por isso que você tem dificuldade em encontrar alguém. É por isso que até mesmo seus relacionamentos não estão te satisfazendo o suficiente.

como é ser2

Ninguém além de você sabe qual o melhor caminho. Às vezes nem você mesmo sabe. Meu caminho foi tão curvo. Mas eu acho que parei de tentar forçar as coisas para o bem dos outros. Eu não vou apenas ter namoros casuais para passar o tempo, só porque meu amigo me disse para fazê-lo. Eu não vou perder meu tempo conhecendo alguém que já sei que não é a pessoa certa. Eu prefiro me apaixonar pela pessoa que sempre esteve lá. Eu preferiria descobrir quem ela é e o que quer. Talvez eu seja “muito exigente”, porque estou mais interessada agora em aprender a me amar novamente.

Em algum momento, eu me apaixonei. E não foi por um namorado. Foi por mim mesma.

Então, eu estou tentando fazer isso. Eu estou tentando descobrir onde está essa desconexão. Eu estou aprendendo quem sou de novo. Porque mudei e evolui.

Às vezes a vida não é sobre perseguir o amor. Trata-se de criá-lo. E isso é o que eu tenho que fazer agora. Eu tenho que criar meu próprio amor para que o amor futuro tenha uma chance. Eu me devo isso.

___

Traduzido pela equipe de O SegredoFonte: Thought Catalog

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.