Como estar presente e tranquilo, quando você não consegue parar de pensar:

“Ao invés de ser seus pensamentos e emoções, seja a consciência por trás deles.” ~ Eckhart Tolle

Durante meus primeiros anos de prática Zen e meditação, eu nunca estive em paz. Nem mesmo perto disso. Mas eu não desisti.

Conforme aprendi mais sobre espiritualidade, finalmente encontrei a resposta. Eu estava muito cansada de matar meus pensamentos. Fiquei obcecada com eles, mesmo que estivesse tentando me livrar deles. Assim que eu percebi isso, finalmente deixei ir e agora me sinto livre.

Aqui está o que eu aprendi sobre estar presente e tranquilo, e como você pode fazer o mesmo.

1.Entenda que é impossível silenciar a sua mente

É parte de ser humano ter pensamentos. Isso significa que você tem um cérebro saudável e funcional. Não precisamos nos livrar de nossos pensamentos. Por quê?

Assim como nossos olhos veem, nossos ouvidos ouvem, nosso nariz cheira, nossa língua e nosso corpo sente, nossa mente pensa. Se você quiser se livrar de uma função específica, terá que destruir o órgão correspondente. A mensagem subjacente é simples: Ninguém tem uma mente sem pensamentos, a menos que esteja morto.

Quando eu tentei parar minha mente, tentei fazer o impossível. Assim como eu não posso fazer meus olhos não verem e meus ouvidos não ouvirem, não posso fazer minha mente não pensar.


2.Não julgue a si mesmo

Uma mente calma não é uma mente sem pensamentos. Em vez disso, é uma decisão que você toma de abraçar cada emoção e pensamento dentro de si.

Aqui está a ironia: quando você abraça todos os seus pensamentos sem julgamento, não importa o quão irritante eles sejam, sua mente se acalma.

Portanto, não resista aos seus pensamentos. Não se culpe por pensar demais. Se você fizer isso, estará dando-se estresse e ansiedade desnecessários. Pensar é a função principal de sua mente, e você vai ouvir o diálogo mental, querendo ou não.

Se você tentar lutar contra isso, resistirá ao que é inevitável. Quanto mais você lutar contra seus pensamentos, mais os amplificará. O não-julgamento é a chave para a quietude. Esteja bem com quaisquer pensamentos que tiver, e verdadeira paz interior virá naturalmente.


3.Separe a análise da ação

Sempre que você analisa, está pensando no passado e no futuro. Isso o afasta da beleza do momento presente.

Claro, desafios e coisas inesperadas acontecem. Mas conforme você lida com eles com um propósito definido, o seu pensamento permanece dentro do presente.

Separe o pensamento analítico da ação. Planeje com antecedência. Saiba exatamente o que fazer antes de começar. Tenha um objetivo claro e passos definidos.


4.Concentre-se no que você está fazendo.

Você medita?

Quando você medita, precisa de um foco. Pode ser a sua respiração ou um mantra. Isso impede sua mente de vagar. Como o Buda disse, sua mente é um macaco dançante. Está sempre procurando maneiras de escapar do presente. Por outro lado, o foco é como um carvalho, que te fixa no presente.

Para impedir que o macaco se separe, você amarra um elástico entre os dois. Sempre que o macaco for muito longe, o elástico o voltará para o tronco da árvore.

Como você faz isso em sua vida diária? Ao contrário da meditação, muitas de nossas tarefas diárias são habituais. Coisas como usar o banheiro, tomar banho, comer e caminhar são muito difíceis de se concentrar.

Isso ocorre porque seu cérebro automatiza essas tarefas para economizar energia. Isso não é uma coisa ruim, mas agora que sua mente está liberada, ela começa a balbuciar o não-sentido. Começa a vagar pelo passado e futuro.

Felizmente, você pode usar esses truques para aumentar o foco e permanecer presente:

Mentalmente lembre-se de sua ação atual.

Fale consigo mesmo para redirecionar seu foco para o momento presente. Por exemplo, ao lavar as mãos, repita em sua cabeça: “Eu estou lavando minhas mãos. Eu estou lavando minhas mãos. Eu estou lavando minhas mãos. ”

Concentre-se em seus sentidos.

Dirija sua atenção de volta ao seu corpo e fora de sua cabeça. Por exemplo, ao tomar banho, observe como a água escorre pela superfície da pele. Inale a fragrância do sabonete. Aprecie o calor. Ouça os sons da água corrente.

Faça as coisas de forma diferente.

Torne as coisas mais desafiadoras. Uma técnica clássica que todos os mestres Zen usam é fazer tudo em câmera lenta. Pode parecer fácil, mas não é. Você vai ter dificuldade em fazer as coisas da maneira que quiser. Como resultado, será forçado a agir conscientemente, em vez de no piloto automático.


5.Retorne ao foco sempre que se afastar dele

Voltemos à analogia do carvalho-macaco.

No início de sua prática, seu foco pode ser fraco. Em vez de um carvalho, é mais como um broto; um macaco pode facilmente arrancá-lo.

Mas não desista. Plante outra árvore. Traga sua consciência de volta ao seu foco sempre que sua mente vaguear para longe.

Sim, essa árvore provavelmente será desarraigada também. Mas cada árvore que plantar terá suas raízes mais profundas e seu tronco mais forte do que antes. Da mesma forma, seu foco se torna mais forte a cada vez que você retorna ao momento presente.

Nesse sentido, o ruído mental é realmente uma coisa boa. É uma oportunidade para você se conscientizar e fortalecer sua presença.

__________

Traduzido pela equipe de O Segredo – Fonte: Tinybuddha



Deixe seu comentário