publicidade

Como a gratidão torna mais fácil seguir em frente quando as coisas vão mal:

“Gratidão transforma o que temos em suficiente, e muito mais.”

“Gratidão transforma o que temos em suficiente, e muito mais. Transforma a negação em aceitação, o caos em ordem, confusão em clareza … dá sentido ao nosso passado, traz paz ao hoje e cria uma visão para o amanhã.” ~ Melody Beattie



Ontem, enquanto rezava no rio Ganges, minha bolsa foi roubada.

Em pé no Sagrado Rio Ganges, rezando com suas águas curativas até o meu pescoço, o mundo exterior parecia ter parado.

A sensação de felicidade de estar de volta em Rishikesh era tão forte que chegava a ser invencível. A imersão imediata nas águas curativas de Maa Ganga era a única coisa em minha mente.

Eu, casualmente, deixei minha bolsa à esquerda na praia antes de entrar no rio. Como nunca tinha tido problemas aqui em viagens anteriores, minha guarda estava baixa.


A Índia, um espelho da mente ampliada, reflete exatamente o que eu penso sobre a velocidade de iluminação. Ela também tem uma habilidade de me ensinar exatamente o que eu preciso aprender.

Ao sair do rio, eu não notei que minha bolsa não estava lá, porque a tinha deixado embaixo de algumas roupas, e nada parecia errado.


Sentada na praia, absorvendo os sentimentos da minha felicidade pós-oração, um indigente indiano aproximou-se, perguntando-me se a praia estava segura.

“Isso é estranho”, pensei. “Por que ele está me perguntando se a praia está segura?”

Meu alarme interno começou a tocar e eu interpretei como um sinal para verificar meus pertences. Com certeza, minha bolsa tinha desaparecido.


E agora? Aquele era o verdadeiro teste. Como responder a essa situação?

Bem, primeiro eu fui atrás do cara desonesto, assumindo que ele era o ladrão, e disse-lhe para me devolver a minha bolsa. Ele negou saber algo sobre isso.

Depois de torturá-lo por um tempo para devolver a bolsa, percebi que era uma causa perdida.

E agora?

Procurei na praia rochosa, esperando que talvez ele tivesse escondido. Parecia uma boa ideia, mas não tive sorte.

Duas outras meninas ocidentais, que estavam sentadas mais longe na praia, gentilmente me ajudaram a procurá-la depois de ouvir minha história.

Sem sorte.

Sentindo que tinha investigado todas as opções possíveis na cena do crime, o próximo passo lógico era retornar ao meu quarto, ligar para o banco e cancelar meu cartão.

Na bolsa estava dinheiro indiano, o meu cartão, e as chaves do quarto. Surpreendentemente, o restante do meu dinheiro e passaporte ainda estava no cofre em meu quarto.

Ouvir a voz interior, que a pouco tinha me dito para deixá-los lá, pouco antes da excursão à praia, provou ser uma bênção enorme.

Eu tinha substituído o cadeado na porta do meu quarto com um cadeado que tinha trazido, pensando que seria mais seguro, e ambos os conjuntos de chaves estavam em minha bolsa roubada.

Ao ouvir a situação da chave perdida, o gerente do Ashram, sem piscar os olhos, me ajudou a entrar no meu quarto.

Não foi uma missão fácil.

Levei cerca de uma hora. Quando consegui entrar em meu quarto, o gerente rapidamente correu para o mercado comprar uma nova tranca para a porta.

Enquanto isso, liguei para o meu banco e cancelei meu cartão. Os atendentes foram absolutamente adoráveis, empáticos e atenciosos.

Meu vizinho no Ashram se ofereceu para me fazer uma xícara de chá, e os vizinhos do outro lado nos oferecem um pouco de sua bela refeição, que tinham acabado de fazer.

No meio da minha vulnerabilidade, me senti apoiada em todos os lados!

Imediatamente, comecei a procurar a lição em minha bolsa ser roubada.

Aceitação, gratidão, humildade e abandono foram as palavras que vieram em minha mente.

Em vez de me concentrar no que eu tinha feito de errado e me culpar por isso, eu escolhi me concentrar no que era realmente bom:

  • Eu ainda tinha o meu celular e dinheiro, que tinha deixado no meu quarto.
  • Eu tinha cartões de crédito no quarto.
  • Eu ainda tinha meu passaporte.
  • Coincidentemente, eu tinha encontrado um amigo no dia anterior que lembrou que me devia dinheiro, e era a quantidade exata que eu tinha acabado de perder.
  • Os meus vizinhos eram generosos e gentis.
  • O gerente do Ashram foi adorável e atencioso.
  • Os atendentes do bando foram atenciosos.
  • As amáveis garotas ​​na praia me ajudaram a procurar minha bolsa.
  • Eu tinha tudo o que precisava!

Depois de fazer essa lista de gratidão, eu percebi o quanto realmente tenho, quão abençoada minha vida é, quantas pessoas gentis e generosas existem no mundo, e como nunca estou desamparada.


Às vezes, os tempos ruins são os que nos tornam mais fortes.

Vir para a Índia sempre me tira de minha zona de conforto, e essa vez não foi uma exceção. Eu ainda estou absorvendo as lições, e elas são poderosas:

  • Esta experiência me fez querer ajudar mais.
  • Me fez perceber que eu só preciso levar comigo as coisas que preciso.
  • Senti a vulnerabilidade de não ter nada por um curto período de tempo, e isso me fez querer ajudar os outros.
  • Me mostrou meu progresso interior: eu não entrei em pânico. Eu não me machuquei. Eu não me senti como uma vítima e não culpei a pessoa que roubou minha bolsa.
  • Isso me fez voltar ao respeito – respeito por tudo o que tenho, porque há pessoas que têm muito menos. Lembrou-me de tratar todas as pessoas como iguais, independentemente de sua situação financeira.
  • Lembrou-me de dar aos outros não só o que posso monetariamente, mas também reconhecer a presença nos outros, dando-lhes toda a minha atenção.
  • Também me lembrou que tenho a escolha de focar meu pensamento e atenção. Posso escolher aceitar as coisas que não posso mudar e ter a coragem de mudar as coisas que posso.

O que aconteceu, aconteceu. Agora eu tenho uma escolha de aprender as lições e receber a parte boa dessa situação.

Hoje, voltei à mesma praia para fazer minhas orações no rio. Desta vez eu não levei nada comigo, exceto minha roupa para entrar no rio. Mantendo atenção sobre a minha bolsa, eu não deixei o evento de ontem manchar meu sincero amor por este lugar.

Sinto-me abençoada, grata e humilde por estar novamente na Mãe Índia, sinto amor pelas pessoas aqui, e especialmente pelas que não têm nada.


O poder da gratidão é surpreendente

É incrível como a gratidão pode mudar sua perspectiva quando as coisas dão errado. Na próxima vez que enfrentar uma situação desafiadora, pressione o botão de pausa interno, respire e analise a situação. Não entre em pânico.

Pergunte a si mesmo: O que posso fazer agora? Qual é a prioridade número um?

Aceite que o que aconteceu, aconteceu. Não se culpe pelo que você não fez. Abandone a resistência e focalize no que pode fazer agora.

Concentre-se no que é bom na situação. Pergunte a si mesmo quais são as lições a serem aprendidas, e faça uma lista de gratidão o mais rápido possível.

Fale sobre o bem causado pelo evento, em vez de repetir constantemente uma história negativa para os outros. Integre as lições, deixe ir, e siga em frente.

____

Traduzido pela equipe de O Segredo – Fonte: Tiny Buddha

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.