Como liberar apegos emocionais a relacionamentos tóxicos:



Neste artigo, discutimos algumas verdades difíceis de relacionamentos tóxicos – e por que é sempre melhor (não importa quão difícil) deixar ir.

“A verdade é, a menos que você deixe ir, a menos que perdoe a si mesmo, a menos que perdoe a situação, a menos que perceba que a situação acabou, não poderá seguir em frente.” – Steve Maraboli

A verdade é que todos nós temos uma opinião sobre a melhor maneira de lidar com pessoas “tóxicas”. (“Tóxico” neste contexto descreve indivíduos que infligem dano – principalmente emocional – a outros). Na verdade, esse assunto evoca muita paixão – e com razão.

Algo com o qual a maioria de nós concorda é que a nossa saúde emocional sofre (assim, a nossa saúde física) ao interagir com indivíduos tóxicos. Acreditamos na premissa de que uma pessoa saudável e positiva é mais apta e disposta a deixar uma influência positiva – nas pessoas, em sua vida e no mundo.

As dificuldades excruciantes que uma pessoa enfrenta – durante e após uma relação tóxica – não podem ser retratadas com exagero. Muitas vezes, esses indivíduos foram sujeitos a controle, crítica, julgamento e abuso. No entanto, apesar dessas circunstâncias extremamente adversas, alguns podem achar difícil seguir em frente e esquecer a pessoa que os prejudicou. Um bom coração continua ansiando pela outra pessoa, com a lembrança dos “bons tempos”.

Neste artigo, discutimos algumas verdades difíceis de relacionamentos tóxicos – e por que é sempre melhor (não importa quão difícil) deixar ir.

(Nota: apesar de explicamos o comportamento tóxico e suas repercussões principalmente no contexto de uma relação íntima, a informação pode se aplicar a outros tipos de relacionamento.)

Como liberar apegos emocionais a relações tóxicas

Em primeiro lugar, é importante entender o que torna difícil reverter a natureza tóxica de uma pessoa. A necessidade de se sentir no controle de uma situação (em nosso caso, uma relação íntima) ou de uma pessoa (no caso, de um parceiro) está entre os traços de personalidade mais visíveis de uma pessoa tóxica.

Os psicólogos atribuem uma voraz necessidade de controle às experiências de uma criança. Tais indivíduos veem comportamentos tóxicos de outros (por exemplo, pais); resultando em um acúmulo de eventos retardando sua capacidade de desenvolver relações interpessoais. As pessoas tóxicas muitas vezes não têm empatia, compaixão, bondade e respeito. Infelizmente, costumam levar essas características a relações íntimas.

Outro hábito particularmente preocupante de pessoas tóxicas é a propensão para escolher indivíduos sensíveis, de coração bom, para uma relação potencial. As pessoas que aparentemente sempre colocam outros em primeiro lugar e têm um feroz senso de lealdade. Em outras palavras, as pessoas que provavelmente tolerarão o comportamento tóxico de alguém. Infelizmente, essas boas pessoas estão mais dispostas a ceder ao controle.

Em um relacionamento normal e saudável, o amor é uma emoção recíproca – é dado e recebido. Além disso, o amor e outros sentimentos saudáveis ​​são incondicionais.

Quando a outra metade de um relacionamento é tóxica, no entanto, o “amor” é retido e substituído por intenções que são tudo, menos benevolentes.

Durante as fases iniciais de um relacionamento, é comum a vítima racionalizar o comportamento do seu amado. Alguns parceiros tóxicos justificarão seu comportamento como “um ato de amor” (isto é, “eu só estou fazendo isso porque eu te amo”).



A conduta distorcida e manipuladora inevitavelmente se agravará ao longo do tempo, à medida que a natureza inata do parceiro tóxico entra em ação, transferindo a culpa para o outro parceiro inocente, que ouvirá que é muito necessitado, ciumento, inseguro, fraco, e que está criando e agravando quaisquer problemas de relacionamento.

Este ciclo abusivo repete-se repetidas vezes.

A verdade é que o amor é uma emoção relativamente direta em sua forma mais pura. Pouca contemplação é exigida do amor recebido de sua mãe, pai, avó, avô, irmãos, irmãs, ou amigos próximos. Conhecemos o amor quando o sentimos.

Outra verdade importante é que as pessoas desprezam ferir alguém com quem se preocupam e amam. Quando foi a última vez que você ouviu uma pessoa que te ama te chamar de estúpido ou sem valor? Quando foi a última vez que você se sentiu menos humano do que as pessoas que realmente te amam?

Quando o “amor” não possui as qualidades que o tornam reconhecível, não é amor. Quando alguém precisa tentar justificar o comportamento desonesto de uma pessoa tóxica em relação ao amor, é hora de deixar ir.


Caminhos de partida

Afastar-se de alguém que você amou, não importa quão mal essa pessoa tenha te causado, pode ser uma coisa terrivelmente difícil de fazer. Dito isso, aqui estão algumas coisas importantes a ter em mente durante o processo de separação:

– Você pode optar por “manter a porta aberta” no caso de a pessoa perceber uma mudança (a consideração deve ser o tipo de relação (platônica ou romântica) e a magnitude de seus eventos);

– Definir limites é muitas vezes um componente necessário quando se trata de uma pessoa tóxica. Os limites devem ser inequívocos e não negociáveis.

– Seja o seu amado um pai, irmão ou alguém próximo, alguém quase sempre terá alguma “informação privilegiada” sobre seu estado. Leve essas informações em consideração antes de tomar qualquer decisão significativa de mudança de relacionamento.


Referências: stevemaraboli.com –  heysigmund.com

Traduzido pela equipe de O Segredo – Fonte: Power of Positivity






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.