3min. de leitura

Como a natação pode servir como uma meditação:

Há um lugar quieto na Terra. Um lugar calmo onde não há telefones, sem notícias, sem mensagens instantâneas ou mesmo música.


É o único lugar onde você não pode ter silêncio, silêncio total e calma meditativa, mesmo que essas coisas não venham a você naturalmente.

E este lugar é embaixo d’água!

Tornou-se um clichê tentar vender às pessoas práticas instantâneas sobre o budismo zen e a meditação nos dias de hoje. Técnicas de respiração, retiros silenciosos de cinco dias, livros e até mesmo aplicativos.

Mas também existe uma solução mais simples com a mesma natureza zen. Nade!

É uma solução simples, vá nadar por um bom tempo. Em uma piscina, em um lago, no oceano, em uma piscina natural. Onde você puder, desde que você saiba, que você realmente pode nadar. (a última parte é muito importante. Por favor, não ignore).


Você verá os benefícios imediatamente. Nadar não só é uma das formas de exercício com impacto mais baixo, como também trabalha seu corpo inteiro, sem machucá-lo.

É como uma experiência transcendente imersiva semelhante à meditação. É impossível não tirar algo do silêncio, da repetição, da fixação da linha no fundo da piscina. A sensação única do som e da pressão sentidos nos ouvidos enquanto a cabeça entra e sai da água.

A natação frequentemente passa pelo comportamento do piloto automático em que você se concentra apenas em obter a distância que planejou, ou “seguir uma linha reta”.


A natação também pode ser uma oportunidade imensamente gratificante para praticar a atenção plena. Ao nadar conscientemente, podemos transformar as sessões de rotina em uma forma imersiva de meditação em movimento.

Então, de qualquer forma, se você é uma pessoa que não consegue sentar-se quieta o  tempo suficiente para meditar, esta é uma ótima saída: vá nadar. Talvez nem todos os dias, mas incorporem isso em sua rotina semanal, pelo menos.

Porque nadar é bom para o corpo, bom para a alma e bom para a mente!

____

Traduzido pela equipe de O Segredo – Fonte: Thought Catalog

Direitos autorais da imagem de capa: kotangens / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.