RelacionamentosColunistasSaúde

Como relacionamentos tóxicos adoecem o corpo

COMO RELACIONAMENTOS TÓXICOS ADOECEM O CORPO01

Recebo dezenas de mensagens privadas e em 90% delas os seguidores referem ter tido problemas de saúde ao longo do relacionamento com pessoas narcisistas e antissociais. Efetivamente, ao viver pisando em ovos, com a respiração presa o tempo todo, sob acusações, ameaças, pressão psicológica, jogos mentais e todo o resto que acompanha esta convivência, o corpo se ressente.



Os problemas de saúde mais referidos por pessoas que tiveram algum tempo de convivência com pessoas perversas são: depressão, ansiedade, pânico, dor crônica, bruxismo, alterações hormonais, perda ou ganho exagerado de peso, distúrbios alimentares tais como anorexia e bulimia, distúrbios do sono, insuficiência respiratória, asma, alopecia (queda anormal dos cabelos), fibromialgia, taquicardia, problemas intestinais, incontinência urinária, candidíase recorrente, aborto espontâneo, infarto, AVC e câncer.

Em meu “laboratório pessoal”, posso afirmar que, de todos os problemas citados acima, os únicos não vividos em primeira pessoa foram o infarto e AVC, mas confesso que, se à época eu fosse alguém menos jovem, nem o coração teria suportado…

COMO RELACIONAMENTOS TÓXICOS ADOECEM O CORPO01


São problemas de saúde que chegam durante a convivência com essas pessoas e com elas se vão, como um milagre. E se deixam sequelas, uma vez rompida a convivência, até lidar com elas se torna mais fácil.

Não tenho conhecimento científico para dizer como esses mecanismos se desencadeiam, mas creio saber o porquê de se darem: Acredito que seja o corpo externando as agressões sofridas e suprimidas; que seja o corpo gritando aquilo que a vítima insiste em calar; em fingir para os outros que não acontece. Creio também que adoecer seja, em última instância, uma tentativa desesperada de receber a atenção e o cuidado daquele que você entende como sendo quem deveria ser seu protetor e apoio maior. Esforço inútil, pois o alvo de abuso não só não receberá o apoio, como será sumariamente abandonado quando estiver à míngua.

Claramente, quando o alvo estiver recuperado, a pessoa perversa reaparecerá como se nada tivesse acontecido, elogiando-o pela sua boa forma, ou tímida e atenciosa, pedindo desculpas não verdadeiras por tê-lo abandonado na doença. As desculpas para abandonar o parceiro doente serão as mais variadas e descabidas. Vão desde um “fico perdido quando você está doente” , “você ficou insuportável quando estava doente”, “fico assustado sem saber o que fazer quando está doente” ,“achei que nesse momento você preferia estar sozinha(o)” até a desculpa absurda, típica dos egocêntricos: “você pensa que é fácil para mim, ter de lidar com todos esses seus problemas?”.

Certa ocasião, um “narcisista patológico conhecido meu” que havia abandonado a mulher sozinha num apartamento após uma cirurgia para retirada de um tumor, ao vê-la totalmente recuperada e mais bonita, disse:


“Estou envergonhado por ter deixado você aqui sozinha depois da cirurgia, largada como se você fosse um pacote. Mas veja, você não querer mais a relação é uma injustiça comigo! Durante quase todo tempo que ficamos juntos você sempre adoecia. Agora que nos separamos você está saudável e mais bonita. Você pensa que é fácil para mim, ter de aceitar isso?”.

Assim, sem nenhuma cerimônia, sentindo-se genuinamente injustiçado por ela e pela vida, todas suas queixas envolviam um “para mim, me, mim”. Simplesmente não importava a mulher e como ela se sentiu durante o tempo em que se recuperava sozinha. Tudo girava em torno dele e de como era difícil para ELE.

Então, preste atenção ao seu corpo e ao que ele está tentando dizer a você. Perceba se está sempre doente porque espera cuidado que venha do outro ou se o sofrimento emocional já se deu por tanto tempo, que virou problema crônico e físico.

Seja como for, reaja. Aceite que está só, que a pessoa perversa desconhece as palavras apoio e companheirismo e que, portanto, terá que se recuperar POR você e PARA você. Saiba que para sair dessa situação, você terá de duelar não só contra sua própria dissonância cognitiva, mas também contra uma pessoa manipuladora, ardilosa e com grande poder de sedução sobre você.


Recupere-se, fortaleça-se! Abandone a ilusão de que se você ficar doente, essa pessoa vai buscar uma empatia que não tem dentro de si para lhe ajudar, proteger e cuidar. Numa pessoa perversa não há remédio e sim um veneno; um inimigo a ser vencido, por isso entenda que, para vencer alguém perverso, você tem que estar forte e saudável física e emocionalmente, e não o contrário.

Coisas que você deve fazer para se recuperar de uma relação tóxica

Artigo Anterior

É preciso que abandonemos as resistências

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.