4min. de leitura

COMO SE ADAPTAR AO RITMO DO OUTRO…

Somos pessoas diferentes com personalidades distintas e criações variáveis tentando se adaptar ao mesmo ambiente. Essa deveria ser a definição de um casal. São vários fatores que influenciam o amor, a paciência, o dinheiro, a capacidade de ceder e um que acho pouco discutido e de muita importância é o ritmo.


Sabemos que vivemos em ritmos diferentes e que quando decidimos viver em um relacionamento temos que aprender a dividir e a respeitar o ritmo do outro. O ritmo de pensar, de resolver as coisas, de sair ou não de casa no fim de semana. Também se sabe que um dos ritos vai predominar na maioria de tempo, geralmente o daquele que tem mais dificuldade em aceitar o outro e suas limitações.

É pouco discutido como essa adaptação ocorre ainda no início do namoro, e permanece durante muito tempo. Somos adaptáveis uns aos ouros, mas também somos independentes, então como resolver essa equação que parece não fechar?

COMO SE ADAPTAR AO RITMO DO OUTRO - FOTO 02


No início é difícil ceder, porque atualmente, a sociedade prega uma cultura muito voltada somente para sua independência. A maioria das mulheres e homens sempre tem aquela dúvida se está cedendo muito ou se está deixando com que o outro “mande na relação”.  É um ponto único que vai variar de relacionamento para relacionamento.

O ideal é que seja determinado e se tenha um conhecimento muito realista de você para saber quais itens você não consegue adaptar. Sempre temos algumas características que é difícil se habituar. Já tié experiências com relacionamentos onde o meu ritmo comandava, e o problema é que soou impulsiva e, às vezes, faço as coisas sem pensar. Fiz muita besteira, mas aprendi com elas.

Tem sido uma experiência nova para mim e para meu parceiro essa divisão. Viemos de relacionamentos parecidos onde os dois comandavam e faziam valer suas opiniões. Temos sofrido ao ter que ceder. Não existe formula mágica somente é fundamental que conversem. O diálogo é determinante para a construção da relação, principalmente quando se há muitas características opostas.


É importante também uma boa dose de realismo. Existem características que você não consegue mudar e precisa admitir que isso faz mal ao outro e se desculpar quando extrapolar o limite. E pode ter certeza, vai acontecer, e muito. Somos imperfeitos e tais hábitos nos acompanham há tempos, alguns desde nossa infância. A alteração desses hábitos pode ser difícil, mas não são impossíveis.

A regra que vale para os dois é que nem sempre vamos conseguir alterar característica e sim ameniza-las e é importante que o outro possua a compreensão de saber que também é necessário amar e conviver com essa parte de você. Andar juntos envolve muito mais que caminhar ao lado é preciso manter um ritmo juntos pra que o crescimento ocorra para os dois e não fique ninguém para trás.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.