4min. de leitura

Como ser mais otimista:

Tenha pensamentos felizes. Encontre o foco importante. Olhe pelo lado bom.



Muitos especialistas dizem que o pensamento positivo tem sérios benefícios que vão além de uma atitude alegre.

De acordo com um estudo recente da Universidade de Pittsburgh, as mulheres que esperam que coisas boas aconteçam têm um risco 30% menor de doença cardíaca.

O otimismo também foi relacionado a um menor risco de acidente vascular cerebral em um estudo da Universidade de Michigan.


E um estudo no Canadian Medical Association Journal descobriu que, à medida que envelhecem, os otimistas tendem a ter menos incapacidades e viver mais do que os pessimistas.

Se você é um pessimista, ainda pode mudar sua visão. “O pessimismo é um comportamento aprendido, o que significa que qualquer pessoa também pode aprender a ser otimista”, diz Elizabeth Lombardo, PhD e autora. “É uma habilidade que você pode ensinar a si mesmo”.

Veja como:

1. Reenquadre suas frustrações

Pesquisadores da Universidade de Kent, na Inglaterra, descobriram que as pessoas que se esforçavam para ver o lado positivo das coisas que davam errado – ao invés de se culparem por pequenas falhas – ficavam mais felizes e satisfeitas no final do dia.


“Se você não conseguiu a promoção, falhou em um teste ou terminou um relacionamento, o que pode aprender com isso? A falha pode ser um grande presente”, diz Lombardo.


2. Apenas diga “Om”

Pesquisas recentes sugerem que as pessoas que meditam diariamente têm emoções mais positivas do que as que não o fazem. A meditação consciente funciona muito, diz Richard O’Connor, PhD e autor. Saboreie momentos positivos – observe uma flor bonita ou tome um sorvete com seus filhos, por exemplo. Isso ajuda a treinar seu cérebro para observar mais coisas boas.


3. Faça uma lista feliz

Todas as noites, escreva três ou quatro ótimas coisas que aconteceram no dia. Um estudo recente no Journal of Research in Personality descobriu que escrever sobre experiências positivas por apenas 3 dias consecutivos tem efeitos duradouros sobre o humor.


Referências do texto: AHA Journals: “Optimism, Cynical Hostility, and Incident Coronary Heart Disease and Mortality in the Women’s Health Initiative” and “Dispositional Optimism Protects Older Adults From Stroke.” – Canadian Medical Association Journal: “Enjoyment of life and declining physical function at older ages: a longitudinal cohort study.” Science Daily: “Positive reframing, acceptance and humor are the most effective coping strategies.” Journal of Personality and Social Psychology: “Open Hearts Build Lives: Positive Emotions, Induced Through Loving-Kindness Meditation, Build Consequential Personal Resources” and “The health benefits of writing about intensely positive experiences.” Psychology Today: “All About Pessimism.” Elizabeth Lombardo, PhD, author, A Happy You: Your Ultimate Prescription for Happiness. Alexandra Hruz, 27, Chattanooga, Tenn. Richard O’Connor, PhD, author of Rewire: Change Your Brain to Break Bad Habits, Overcome Addictions, Conquer Self-Destructive Behavior.


Traduzido pela equipe de O Segredo – Fonte: Web MD

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.