8min. de leitura

Como será o céu? Este texto enfatiza o Céu onde Deus habita, mais conhecido como “Paraíso”

Como será o céu? O Céu pode ser visto, conforme a Bíblia Sagrada, sob três perspectivas:


  • o Céu localizado na atmosfera terrestre;
  • o Céu localizado no espaço, além da nossa atmosfera, onde se localizam as estrelas;
  • o Céu espiritual, onde habita Deus.

Este texto enfatiza o Céu onde Deus habita, mais conhecido como “Paraíso”!

No Livro “Apocalipse 21:9-27”, Deus mostra a João, a revelação da perfeição do Reino de Deus:

“09 E veio a mim um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das últimas sete pragas, e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a esposa, a mulher do Cordeiro.

10 E levou-me em espírito a um grande e alto monte, e mostrou-me a grande cidade, a santa Jerusalém, que de Deus descia do céu.


11 E tinha a glória de Deus; e a sua luz era semelhante a uma pedra preciosíssima, como a pedra de jaspe, como o cristal resplandecente.

12 E tinha um grande e alto muro com doze portas, e nas portas doze anjos, e nomes escritos sobre elas, que são os nomes das doze tribos dos filhos de Israel.

13 Do lado do levante tinha três portas, do lado do norte, três portas, do lado do sul, três portas, do lado do poente, três portas.


14 E o muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro.

15 E aquele que falava comigo tinha uma cana de ouro, para medir a cidade, e as suas portas, e o seu muro.

16 E a cidade estava situada em quadrado; e o seu comprimento era tanto como a sua largura. E mediu a cidade com a cana até doze mil estádios; e o seu comprimento, largura e altura eram iguais.

17 E mediu o seu muro, de cento e quarenta e quatro côvados, conforme à medida de homem, que é a de um anjo.

18 E a construção do seu muro era de jaspe, e a cidade de ouro puro, semelhante a vidro puro.

19 E os fundamentos do muro da cidade estavam adornados de toda a pedra preciosa. O primeiro fundamento era jaspe; o segundo, safira; o terceiro, calcedônia; o quarto, esmeralda;

20 O quinto, sardônica; o sexto, sárdio; o sétimo, crisólito; o oitavo, berilo; o nono, topázio; o décimo, crisópraso; o undécimo, jacinto; o duodécimo, ametista.

21 E as doze portas eram doze pérolas; cada uma das portas era uma pérola; e a praça da cidade de ouro puro, como vidro transparente.

22 E nela não vi templo, porque o seu templo é o Senhor Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro.

23 E a cidade não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus a tem iluminado, e o Cordeiro é a sua lâmpada.

24 E as nações dos salvos andarão à sua luz; e os reis da terra trarão para ela a sua glória e honra.

25 E as suas portas não se fecharão de dia, porque ali não haverá noite.

26 E a ela trarão a glória e honra das nações.

27 E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira; mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro.”

Assim, temos uma singela revelação de como será o Céu, a quem for dele merecedor, em profundeza espiritual.

Ainda na Bíblia, há mais informações obtidas nas Cartas e Epístolas do Apóstolo Paulo.

Paulo em 2 Co 12:1-4, revela ter conhecido um homem que: “Em verdade que não convém gloriar-me; mas passarei às visões e revelações do Senhor. Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo, não sei, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao terceiro céu. E sei que o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar.”

Entre outras coisas vistas, como estas não condizem com a realidade terrestre, elas não puderam ser descritas. A respeito, 1 Co 2:9 (Bíblia Sagrada), diz que: “Mas, como está escrito: as coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.”

Além de tudo, o Céu, que seria mais um estado de espírito do que um lugar, proporcionaria a gloriosa sensação de que “não mais haverá lágrimas, nem dores, nem qualquer sofrimento ou sentimento negativo. Não haverá morte, somente a vida eterna inundada com o que mais se busca: a paz de espírito!”

A vida terrena é dividida em momentos de felicidade e outros, porém, de tristeza.

Complementando: imagine ter o privilégio de sentir eternamente a paz plena, quando não haverá o medo da morte ou qualquer tipo de receio, inclusive o de se perder pessoas queridas, da violência, da injustiça e de tudo aquilo que nos abate, causa depressão ou ansiedade, sendo que este é o sofrimento pelo futuro que não chegou e a outra, o sofrimento pelo que se passou e nenhum dos dois situa-se no presente; presente dado por Deus, à humanidade.

Afora todas essas dádivas que trabalhariam como alimento do Espírito, será a presença de Deus, Jesus, o Espírito Santo e todos os Seres Celestes, que mais trarão paz ao coração! Portanto, espera-se pelo Reino Celeste e que nele possa ser revivida a sensação de paz total de espírito, o que tanto se almeja, diante deste mundo tão inundado de ruídos perturbadores, que abalam as estranhas humanas.

Como será o Céu? Crê-se que o Céu seja inimaginavelmente belo, docemente suave, eternamente grandioso e calorosamente acolhedor.

Céu que nos acalentará durante as batalhas física, mental e espiritual travadas neste Planeta, junto com a eterna presença Divina, que muito nos ensinará pelos séculos dos séculos, amém!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: andreacrisante/123RF Imagens.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.