Pessoas inspiradoras

Conheça a história do mexicano que fugiu para os EUA, morou na rua e hoje é um neurocirurgião de sucesso!

A história de perseverança e sucesso deste médico motivará você a nunca desacreditar nos seus sonhos. Confira!



Alfredo Quiñones-Hinojosa é um homem inspirador. Atualmente diretor de neurocirurgia da Clínica Mayo, um dos melhores hospitais do mundo, ele trabalha removendo tumores e dando nova vida a inúmeros pacientes.

No entanto, para chegar aonde está, precisou enfrentar inúmeros obstáculos. Em uma entrevista à BBC, ele contou mais sobre a sua jornada de muita luta e força.

Alfredo nasceu em uma família pobre, em Palaco, uma cidade nos arredores de Mexicali, bem ao lado do muro que marca a fronteira do México com os Estados Unidos. Durante sua infância, ele passou por inúmeros desafios, que o fizeram amadurecer cedo e sonhar com uma vida melhor.


Alfredo e a família viviam em um lugar muito simples, sem água encanada e eletricidade. Tinha cinco irmãos, mas uma morreu de desidratação e diarreia aos 6 meses, por causa da dificuldade de acesso aos cuidados médicos.

Com uma crise financeira que se alastrou pelo país, eles perderam o pouco que tinham e começaram a passar fome. Nessa época, quando seu pai foi acometido pela depressão, a mãe assumiu a responsabilidade pela família e começou a trabalhar como costureira, faxineira e outras coisas, para sustentar os filhos.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Dr. Alfredo Quiñones-Hinojosa.

Apesar de todas as dificuldades, Alfredo sempre se viu como uma pessoa que podia “navegar pelo mundo” e enxergava uma vida de “satisfação”, mesmo quando todos só viam a escuridão.


Na adolescência, a necessidade de uma vida de mais dignidade para a família despertou em Alfredo o desejo de pular o muro da fronteira e ir para os Estados Unidos. Por isso, ele praticou salto por muitos anos.

Na primeira tentativa, foi pego por oficiais da imigração e ficou detido por uma noite, mas não desistiu e, na segunda, aos 19 anos, ele conseguiu, e encontrou um primo que já vivia no país vizinho.

Inicialmente, ele trabalhava com algodão, e não tinha onde viver, por isso dormia dentro de um carro, na rua. Novamente, não tinha água nem banheiro.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Dr. Alfredo Quiñones-Hinojosa.


No entanto, quis aprender inglês e melhorar suas oportunidades. Mesmo desacreditado pelos primos e pelas pessoas que o consideravam “invisível”, ele persistiu e se mudou de cidade, começando a trabalhar em uma empresa ferroviária.

Alfredo conseguiu entrar numa “faculdade comunitária” e depois foi aceito na Universidade da Califórnia, em Berkeley, a melhor universidade pública dos Estados Unidos. Nesse momento, ele viu que tinha possibilidade de ir para a faculdade de Medicina de Harvard, e se empenhou nisso.

Com algumas bolsas e muitos empréstimos, ele conseguiu se formar nessa universidade e especializar-se em neurocirurgia, na Universidade da Califórnia. Escolheu trabalhar com o cérebro porque se encantou desde a primeira vez que viu um na faculdade.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Dr. Alfredo Quiñones-Hinojosa.


Atualmente, Alfredo estuda glioblastomas multiformes e tem a vontade de encontrar a cura contra o câncer, principalmente no cérebro. Ele diz que se recusa a acreditar que o câncer é invencível e, sempre que se depara com ele, sente-se como um “samurai que vai lutar contra um monstro extraordinário”.

Apesar de sentir medo em alguns momentos, ele revela que nunca perdeu um paciente na sala de operação e que a confiança dos pacientes nele o mantém humilde.

O seu laboratório já publicou, além de oito livros, 500 artigos sobre temas valiosos; sua relevância para a medicina é única.

Alfredo tem a história de um verdadeiro guerreiro, que passou por mais dificuldades do que podemos imaginar, e hoje vive uma realidade de sucesso. Ele nos motiva a acreditar sempre em nós mesmos e nunca abaixamos a cabeça diante dos problemas.


Que esta história inspire você a perseguir seus sonhos.

Compartilhe o texto nas redes sociais!

Cega, com dor e fome, cadela estava pronta para partir sem ajuda, mas foi salva e hoje é muito amada!

Artigo Anterior

Mãe publica vídeo dando “selinhos” na filha e gera polêmica: “Não beije sua filha assim”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.