Notícias

Conheça Miguel Vicente, garoto de 11 anos que conquistou famosos, tocando samba nas redes

Conheca Miguel Vicente garoto de 11 anos que conquistou famosos tocando samba nas redes

O brilho do olhar de uma criança brincando com seu cavaquinho misturado a uma boa dose de talento, carisma e amor pela música: essa é a receita da mais nova paixão das redes sociais. O menino Miguel Vicente, de 11 anos, vem encantando uma legião de fãs ao cantar sambas e pagodes com uma baita desenvoltura.

De Itaperuna, no Noroeste Fluminense, o garotinho começou a postar vídeos há menos de um mês e logo viu uma grande repercussão. Ele já foi repostado por ninguém menos que Neymar, Iza, Martinho da Vila, Anderson Silva, Teresa Cristina, Sorriso Maroto, entre outros famosos. Em uma semana, foram mais de 100 mil seguidores chegando ao seu perfil do Instagram, que segue crescendo. O primeiro a lhe mandar mensagem foi Xande de Pilares, a quem agora ele chama de padrinho.

— Nem acreditei. Disse para ele: “Ah, tio. Eu vou chorar”. Xande falou para eu ficar calmo. Mas eu não estava aguentando, aí chorei um pouquinho — recorda Miguel, que está recebendo agora uma média de 9 mil mensagens por dia.

Para o músico, também houve uma dose de emoção especial.

— Fiquei impressionado com a afinação dele, com a batida, a sua digitação, os acordes, tudo para a idade que ele tem… Eu me lembrei de mim, comecei entre 5 e 7 anos. Além da afinação, tem a desenvoltura e o carisma. As histórias são parecidas, aí fiz um vídeo para ele. Esse garoto vai longe — aposta o sambista.

Miguel mora com os pais e as duas irmãs. Sua família trabalha em uma empresa própria, a Evidências Formaturas e Eventos, que presta serviços de fotografia. Mesmo não vivendo no meio de músicos, os pais dele, Rafael e Danielle Vicente, sentiram que o garoto, aos 3 anos, já tinha um toque diferente nos instrumentos de brinquedo. Aos 5, ele ganhou o primeiro cavaquinho de seu tio Alvino Junior e começou a aprender sozinho, até que entrou em uma aula apenas por alguns meses. Quando esse tio morreu, Miguel ficou sem tocar por mais de um ano, até que voltou em 2020. Mais recentemente, o pequeno artista sofreu outra perda na família, agora de seu avô Alvino. Mas, desta vez, em vez de deixar o cavaquinho de lado, dedicou-se por semanas para tirar o clássico “Naquela mesa”, que embalou um dos primeiros vídeos que publicou.

— Fez um ano que meu avô morreu. Sinto muita falta dele, que gostava bastante dessa música. Então fiz essa homenagem — explica o menino.

Com o sucesso repentino, Miguel já ganhou roupas, aulas, um novo cavaquinho e foi convidado para assistir a um jogo do Botafogo, seu time de coração. Será a sua primeira vez em um estádio.

O menino confessa também que ficou assustado com a repercussão no seu colégio, com muita gente pedindo foto e autógrafos. Seus amigos nem sabiam que ele tocava. Atento, o pai dele sempre deixa claro que Miguel pode parar de postar quando quiser e avalia que o filho não está preocupado em ver a onda da fama passar, o que tranquiliza a família.

— Não tentamos empolgá-lo, porque conhecemos esse mundo da internet. Agora está subindo, mas uma hora para e não tem mais esse assédio todo, então ele poderia se frustrar. Mas Miguel não está nem aí para isso — afirma Rafael.

Apesar da pouca idade, Miguel quer apenas curtir sua paixão.

— Só quero tocar meu cavaquinho, de que gosto muito. Quero viver de música. Sei que para isso eu tenho que estudar. Quero ser um músico. Esse é meu sonho — conclui.

0 %