ColunistasFamília

Constelação familiar & organizacional:

Constelação familiar e organizacional

Felizmente, na atualidade, a Constelação Familiar é bastante conhecida, comprovada e utilizada em várias áreas. Podemos constatar sua aplicabilidade em organizações, escolas, consultoria empresarial, na saúde e no direito.



A Constelação é uma terapia sistêmica. Foi desenvolvida por Bert Hellinger, alemão, filósofo, teólogo, pedagogo e psicanalista. Ele viveu e atuou por 16 anos na África do Sul como missionário católico junto ao povo Zulu, simultaneamente nas atividades educacionais, diretor de uma grande escola e professor, período fundamental para elaboração da sua própria Terapia Sistêmica e Familiar nomeada como Familienaufstellen, que significa Colocação do Familiar, traduzido para Constelação Familiar no Brasil.

Bert Hellinger sofreu influências dos seus estudos e suas pesquisas sobre Dinâmica de Grupos, Análise Transacional, Métodos Hipnoterapêuticos, Fenomenologia, Terapia Primal, Terapia Corporal, Terapia Familiar, entre outras técnicas. Para quem está familiarizado com os diversos tipos de psicoterapia, reconhecerá em todo este processo uma integração singular de diversos elementos. Uma verdadeira união de abordagens potentes convertidas na criação de uma abordagem única e curativa, centrada no campo morfogenético e nos movimentos da alma.

Toda sabedoria e sensibilidade de percepção de Bert Hellinger estão na sua teoria dinâmica de Constelações Familiares, com base na sua experiência de vida e na observação dos sistemas.


A Constelação Familiar é um método terapêutico que identifica emaranhamentos sistêmicos e a forma de os solucionar. Sem julgamento, tampouco classificação de certo ou errado, há um processo de cura pelo amor, pela inclusão e pelo respeito.

Bert Hellinger descobriu que há 3 leis que atuam na família, denominadas as Ordens do Amor:

– 1ª a primeira lei Hierarquia: estabelecida pela ordem de chegada, hierarquia de tempo, os mais antigos vêm primeiro e os mais novos vêm depois.

– 2ª a segunda lei Pertencimento: estabelecido pelo vínculo, todos têm o igual direito de pertencer.


– 3ª a terceira lei Equilíbrio: estabelecido pelo equilíbrio entre dar e receber.

O descumprimento das ordens do amor dentro do sistema familiar desencadeia compensações que atuam em outros membros da família; muitas vezes, os efeitos são sentidos por membros que nem tinham nascido quando o problema ocorreu.

A constelação familiar estabelece uma forma original de levar a consciência a um nível superior de alcance nos diferentes campos da vida, por meio da clareza das ordens do amor com suas conexões e os movimentos da alma, revela soluções simples e até inusitadas para os problemas e conflitos psíquicos das pessoas.

A pessoa a ser constelada precisa definir e expor a questão que deseja solução (sem necessidade de detalhamento minucioso sobre o caso), eleger os representantes para sua constelação de acordo com as instruções do/a Facilitador/a da Constelação Familiar ou Organizacional, posicionando-os em um lugar do espaço conforme os seus sentimentos, e observará na posição de espectador a dinâmica até o momento indicado para assumir o seu papel.


Os representantes sentirão o campo morfogenético do sistema em questão, relevando para onde cada um olha e como as ordens do amor podem ser novamente respeitadas e colocadas em equilíbrio no sistema da pessoa constelada, sentindo o efeito nela e o que percebe poderá ser o passo seguinte a dar.

A grande experiência é que os representantes posicionados nas constelações sentem exatamente como as pessoas que eles representam; o contrário também é verdadeiro, as pessoas representadas sentem tudo o que acontece na constelação familiar, ou seja, são afetadas imediatamente apesar de elas não saberem de nada. Isto quer dizer que estamos conectados de uma forma muito profunda com muitas outras pessoas.

As pessoas que entram em uma constelação como representantes, de certo modo, deixam o seu sistema e entram em outro sistema, poderíamos dizer que entram em outro campo; e nesse campo, entram em ressonância com tudo que pertence a este campo particular, o qual a constelação reproduz, explicando o porquê os membros desta família são afetados pelo trabalho realizado.

Os facilitadores da Constelação também entram neste campo, não exatamente como os representantes, pois um representante está apenas, ou principalmente, em contato com uma pessoa ou situação específica, já os facilitadores estão em contato com todo o sistema. Nesta perspectiva, os facilitadores podem sentir qual é o problema que está ali a partir dos movimentos da alma, entram neste campo.


É preciso enfatizar que as constelações servem tanto para o cliente quanto os participantes, sempre há correlação entre a representação de um papel do sistema com um aspecto do próprio sistema do representante.

Trata-se de um método terapêutico altamente eficiente e poderoso, cuja aplicação requer conhecimento e postura comprometida com os elevados padrões de conteúdo e método.

O cliente precisa confiar no/a facilitador/a de constelação. O resultado de uma constelação indica um novo caminho e leva adiante, para muito além dos pensamentos e dos desejos. Os facilitadores precisam ser capazes de suportar e deixarem seus clientes suportarem o resultado de uma constelação.

Vale a pena ressaltar que, da mesma forma que não existem duas pessoas iguais, não há duas constelações iguais, independentemente da questão abordada, quer seja da vida profissional ou pessoal, de uma empresa ou de um relacionamento.


Conte com a ajuda da Constelação para solução de uma questão na sua vida. Estou à sua disposição para ser uma facilitadora neste seu processo.

________

Direitos autorais da imagem de capa: andreypopov / 123RF Imagens


Uma vida de espera e de páginas em branco…

Artigo Anterior

É inútil semear em corações estéreis…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.