5min. de leitura

Contrariando todas as estatísticas, idoso inglês com síndrome de Down comemora 77 anos

Existem algumas doenças que limitam o tempo de vida das pessoas, e a síndrome de Down é uma delas.


Antigamente, os portadores desse distúrbio genético viviam apenas cerca de 35 anos, por conta da falta de conhecimento da sociedade e da comunidade médica. Entretanto, conforme o tempo passou e fomos adquirindo conhecimento, a expectativa de vida dessas pessoas melhorou.

Georgie Wildgust é um exemplo claro do quanto essas pessoas podem contrariar todas as expectativas e viver tanto quanto qualquer um de nós.

O senhor que completou recentemente 77 anos é o portador de síndrome de Down mais velho da Grã-Bretanha, e leva uma vida feliz e saudável.

Quando nasceu, a previsão de vida de Georgie era de no máximo 10 anos, mas ele conseguiu reverter as próprias chances e acredita que a razão principal para a sua longevidade está relacionada ao amor pela dança e vida social saudável.


Aposentado de seu trabalho de jardineiro e carpinteiro, Georgie vive em uma casa de repouso junto a 12 outras pessoas, e desfruta de todas as coisas boas que o lugar pode oferecer-lhe. A clínica Watcombe Circus tem sido sua casa desde 1993, quando sua mãe faleceu e é um lugar onde se sente muito bem e permitiu-lhe encontrar uma namorada e amigos.

“Honestamente, todos os dias em que você trabalha, ele faz você sorrir”, disse Kimberley Taylor, membro da equipe da clínica, em entrevista à BBC.

“Ele gosta de sair para jantar, colorir livros e principalmente dançar. E também tem uma namorada, Lorraine, mas acabou de se mudar, acho que sente um pouco a falta dela. Ela vem visitá-lo e eles também conversam pelo Skype. A equipe aqui percebe a importância dessas amizades e as mantém ativas”, disse a sobrinha Nikki Wright, de 44 anos.


Para ela, a razão de Georgie viver muito mais do que o esperado é porque foi criado para acreditar que tinha as mesmas possibilidades de todas as pessoas:

A mãe dele sempre dizia que ele podia fazer qualquer coisa e é por isso que ele sempre foi muito independente.

Ela ainda acrescentou: “Minha avó era costureira e meu avô trabalhava em um poço, eles moravam juntos em Notthingham e as crianças sempre saíam para brincar no meio da praça (…). Naquela época, os médicos descartavam pessoas com síndrome de Down, uma vez que não eram classificadas como ‘normais’. Alguns até foram enviados para asilos em celas acolchoadas. Foi realmente horrível, mas Georgie sempre teve o apoio familiar e amigos ao seu redor, e é por isso que ele se saiu tão bem.”

A festa de comemoração aos 77 anos aconteceu no dia 16 de agosto, na clínica onde vive, Georgie estava cercado do amor e admiração de amigos, familiares e funcionários do local. Foi um momento muito especial para todos os que estavam presentes, e Nikki declarou sua admiração pelo tio: “Estamos todos muito orgulhosos dele, é surpreendente para ele atingir essa idade. Minha avó foi informada de que ele não viveria mais de dez anos devido à síndrome de Down, mas eles estavam muito errados.”

A história de Georgie é muito especial, traz esperança para as pessoas que vivem nas mesmas condições e mostra que uma educação inclusiva e o cuidado mental e físico são essenciais para uma vida longa, saudável e feliz para pessoas de qualquer condição.

Compartilhe este grande exemplo em suas redes sociais!

 

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos. Direitos autorais das imagens utilizadas no texto: SWNS TV.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.