ColunistasEmoçõesReflexão

Conversa entre o medo e a confiança…

conversa

Conta-se que há muito tempo atrás a Confiança saiu de sua casa no seio Universal, para conhecer tudo que a Inteligência Divina havia criado para todos os seres que nela habitam e se desenvolvem. Porém, logo na primeira curva do caminho encontrou um ser ardiloso e maligno, que estava sentado embaixo de uma árvore e que levantou-se rapidamente ao vê-lo se aproximar.



– Onde pensa que vai?– perguntou a criatura.

– Eu vou ser feliz – respondeu-lhe a Confiança. – E quem é você?

A criatura deu uma sonora gargalhada e cravou-lhe os olhos ardilosos, cheios de malícia.


– Eu sou o Medo.

– Já havia ouvido falar de ti – disse a Confiança. – Então é você que trava o caminho de todas as pessoas que querem ser feliz?

– Não seja tola, eu não estou aqui pra travar o caminho de ninguém. Eu existo pra lhe advertir que a felicidade não existe. Eu existo para impedir que as pessoas venham a sofrer mais adiante no caminho.

– E de que serve isso? Muitos por evitar sofrer mais adiante dão ouvidos a você e no entanto sofrem muito mais por não irem atrás do que querem.


– Mas o lugar que elas estão é mais seguro. Muito melhor é sofrer por algo de que estamos acostumados do que sofrer um sofrimento novo.

– Engano seu. Você quer colocar as pessoas numa redoma, em uma caixa que nada os atinja. Ninguém tem emoções de vidro. Se ficarmos com medo de ter arranhões, nunca poderemos receber e viver as melhores emoções da vida.

– Mas ninguém gosta de sofrer!

– Isso ninguém gosta mesmo. Mas todo sofrimento só vem pra nos mostrar que não fizemos algo direito. O sofrimento não vem como castigo, ou simplesmente ao acaso. Ele vem pra fazer crescer o nosso discernimento. É só fazemos isso se nos atrevemos a viver, e é pra isso que eu existo.


– Mentira – disse o Medo. – Você vende falsas ilusões. Quantos por acreditarem em você não se decepcionaram depois?

– Engana-se. Eu não vendo promessas. Ter confiança não é ter certeza de que tudo vai sair como queremos. Até por que muitas vezes o que queremos não é o melhor, e nós só descobrimos isso depois. Quem sabe o que é o melhor é a Vida. Por isso ter confiança é saber que independente do que acontecer, vai estar acontecendo o melhor, mesmo que no momento não percebamos.

– Porém isso nos deixa ainda mais inseguros – argumentou o Medo. – Como ter coragem pra viver e escolher as coisas, sabendo que nem sempre a situação vai sair como desejado?

– Primeiro você tem que entender que ter confiança nada tem a ver com coragem. A coragem é uma força que nos move. A confiança é uma certeza. Muitos que tem coragem não tem confiança, pois a coragem é como se atirar na situação de olhos fechados, enquanto que a confiança é ir adiante de olhos bem abertos sabendo onde pisa.


– Mesmo sem saber como a situação vai ocorrer?

– Sim, pois nunca sabemos como ela vai ocorrer. Não podemos nos iludir pela aparência de uma situação. Quem só vê a situação se decepciona, pois a confiança está em nós e não na situação. Quantas vezes uma situação que parece que vai dar tudo certo, acaba dando tudo errado, e outra em que parece que vai dar errado sai tudo certo?

– Várias vezes!

– Pois é. Isso acontece quando nos iludimos pela aparência da situação. Por isso que eu digo, quem quer ter confiança, tem que ter a confiança em si, e não na situação, independente de como ela apareça ou aconteça.


– Engano seu! Como alguém pode ter confiança em si, sabendo que somos limitados.

– Ter confiança nada tem a ver com nossas qualidades ou limitações. Ser confiante é estar do nosso lado. Afinal, não é a situação que nos faz mal, somos nós mesmos.

O medo gargalhou.

– Não tente me enganar. Todos querem bem a si mesmos. É a situação que nos faz mal.


A confiança sorriu.

– A situação é neutra. Nem boa e nem ruim, apenas é o que é. Imagine alguém que cria coragem pra pedir um emprego e é recusado. A situação foi só de recusa, simples e acabou. É só seguir adiante. Mas a pessoa se machuca, porque dentro dela mesma fica dizendo que é incapaz, que tem defeitos, que nunca conseguirá, que nunca será feliz… Faz isso sempre porque é vaidosa.

O medo não entendeu.

– O que a vaidade tem a ver com isso?


– Ser vaidoso é querer passar uma falsa imagem pra nós e pros outros, é quando valorizamos a aparência e daí não nos permitimos errar e ser humildes, que é aceitar o que somos sem medo da opinião alheia. Daí quando algo não sai como queremos isso machuca a nossa vaidade, que queria que tudo fosse como o imaginado pra aparentarmos sermos a pessoa perfeita, a bela, a mais esperta, a que nunca erra… Quando não temos vaidade não temos mais medo, pois não queremos sustentar uma falsa imagem. Não ligamos pro que os outros dizem e nos mostramos como somos. Assim, se algo não sai como queremos estamos do nosso lado. Quem é confiante sempre diz depois de uma situação reversa: Tudo bem; eu ainda consigo; essa situação não me define; eu ainda posso mais, etc… Ou seja, só tem medo aquele que sabe que se a situação não sair como imaginado, vai se torturar por dentro.

– Isso significa que…

– Isso significa – disse a Confiança –, que ser confiante é estar do nosso lado. Nos apoiar sempre independente do resultado. Deste modo não temos mais o que temer, pois nos livramos da autocrítica, e passamos a desenvolver a inteligência, pra ver o que precisamos melhorar pra atingir nossos objetivos. Portanto lembre-se sempre: Tudo sempre da certo, e ter a confiança não é ter a certeza de que a situação vai sair como queremos, mas sim, saber que independente do que acontecer nós vamos estar sempre do nosso próprio lado, nos apoiando.

O Medo ficou triste.


– O que foi? – perguntou a Confiança.

– É que tudo que você me disse faz com que eu me sinta mal e inútil.

– Não pense assim. Foi graças a você que a humanidade sobreviveu e pode evoluir. Se não fosse o instinto do medo a humanidade ficaria exposta aos perigos e fatalmente estaria extinta. Você é muito útil. Mas as pessoas tem que saber usar. Pois o medo só é importante quando funciona como uma alerta, pra depois a gente usar a inteligência e analisar o fato. Porém, nunca deve servir para nos paralisar.

O medo ficou feliz e percebeu que tanto ele quanto a Confiança eram, e são, duas importantíssimas forças que a vida nos deu, e só quem sabe usar direito a força de cada uma delas pode ser feliz. E juntos continuaram a eterna caminhada rumo ao infinito, dentro de cada ser que o Universo criou!

Como não sofrer por causa da crise política e econômica?

Artigo Anterior

Tudo tem seu tempo… Ou deveria ter!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.