Bem-Estar e SaúdeColunistas

Correr me ajudou a curar a tristeza e a depressão

Correr me ajudou

O doloroso começo



Em primeiro lugar, sempre gostei de esportes, desde criança.

Decidi correr ao ler em uma revista sobre os benefícios da corrida. Lembro-me deles até hoje:

⦁ Aumento da produção de hormônio da felicidade.


⦁ Diminuição considerável na ansiedade e estresse.

⦁ Perda de peso (ajuda a tornear as pernas).

⦁ Aumento da capacidade pulmonar.

⦁ Melhora na circulação sanguínea, entre outros.


Diante destes benefícios tão atrativos, decidi começar, até porque eu já estava bem tristonha e depressiva.

Porque nessa época que minha mãe tinha decidido viver fora do país, minha vida profissional estava uma porcaria e a amorosa inexistente, dentre outros fatores ruins.

Claro, como todo início, foi difícil, não tinha muito fôlego, sentia muitas dores e má vontade, etc.

Mas isso durou em média duas semanas, depois o corpo começou a acostumar, a mente a acalmar e o coração a se apaixonar pela corrida.


No início, eu corria duas vezes na semana, depois passei para três, e depois para quatro, até que chegou uma época que corria todos os dias, inclusive no domingo.

Mas, de verdade, não aconselho a correr todos os dias, poder judiar muito do corpo e a probabilidade de lesões é bem grande.

Desde então, estou bem controlada, geralmente corro três vezes na semana, duas em curta distância (2 km) e uma em larga distância (7 a 12 km).

Nestes 11 anos de amor pelo esporte, aprendi três lições muito importantes para vida e faço questão de dividir contigo.


As três lições da corrida para vida.

1. Conectar-me com meu interior

Na minha opinião, correr é uma meditação ativa, você deve estar atento para o que seu corpo fala e para os insights.

Cada dor no seu corpo está relacionada com algo mais profundo, como má postura corporal, bloqueios emocionais, etc.


Portanto, se algo dói é porque você está fazendo alguma coisa errada.

Correr é estar atento à sua máquina de locomoção.

Correndo consegui perceber várias inquietações mentais, medos, bloqueios e defeitos.

Em contrapartida, aprendi a ver minhas qualidades e saber usá-las.


Perceber tudo isso só será possível se você estiver presente no momento.


2. Desistir? Jamais!

As dores e a vontade de desistir são inevitáveis quando você está correndo.


Mas sempre vem uma voz da consciência e diz:

– Continue, vai, você consegue! Tente um pouco mais, logo acaba!

E, graças a Deus, sempre dei ouvidos a esta “voz interna” e sempre consegui finalizar as corridas, dentro daquilo que eu tinha estabelecido.

O mais legal é que passei a usar esta frase para tudo que faço na vida.


Persistir, persistir, persistir e persistir sempre.

Por mais que tudo esteja difícil, por mais que você esteja como um trapo velho estirado no chão.

Levante-se! Sacuda a poeira e tente mais uma vez… só mais um pouco!


3. Fortalecer a alegria e a positividade

É aqui que a mágica acontece.

Houve dias que saí de casa para correr chorando, como se eu quisesse fugir de mim mesma.

E dentro de 10 minutos, meu humor mudava radicalmente e quando percebia já estava sorrindo com o som dos pássaros.

Isso acontece porque quando você pratica atividade física, seja qual for, seu corpo naturalmente aumenta a produção de endorfina, um dos hormônios da felicidade.

Sobretudo, se associado a uma conquista de meta (por exemplo: correr 10Km) quando você atinge esta meta, seu corpo aumenta a produção Dopamina, outro hormônio da felicidade.

Diante dessa explosão de hormônios da felicidade é impossível ficar triste, a depressão não tem espaço quando seu corpo e sua mente estão a seu favor.

E estas foram algumas das tantas lições que aprendi correndo: estar mais atenta, mais confiante e mais alegre.

Agradeço a Deus por ter saúde e força de vontade para correr e peço humildemente que me permita continuar correndo até meu último dia nesta jornada. Gratidão infinita!


* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: georgerudy / 123RF Imagens

16 perguntas que te farão perceber o que realmente importa na vida

Artigo Anterior

Depois dos 30 anos, nossas vidas se transformam!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.