Notícias

Com câncer e internado, Bruno Covas tem piora e é diagnosticado com líquido nos pulmões e abdômen

Covas iniciou novo tratamento, mas teve alta adiada. Entenda.



Bruno Covas (PSDB), prefeito de São Paulo foi diagnosticado com câncer na cárdia (na transição entre o estômago e o esôfago) em 2019, depois de ser internado com erisipela (infecção), que posteriormente evoluiu para trombose venosa profunda na perna direita e pulmões.

Segundo informações do G1, na época em que o câncer foi descoberto, já estava com metástase no fígado e nos linfonodos. Covas passou por sessões de quimioterapia que regrediram o tumor, mas não foram capazes de vencer o câncer, segundo a equipe médica. O político, então, iniciou o tratamento com imunoterapia.

Em janeiro de 2021, Bruno Covas foi reeleito, e iniciou novos procedimentos para combater a doença. Nos 10 dias que tirou de licença, passou por sessões de radioterapia.


No último dia 21, uma coletiva de imprensa da equipe médica de Bruno anunciou que ele teve uma piora em seu quadro de saúde, e que foi diagnosticado com líquido nos pulmões e no abdômen.

O político havia sido internado no dia 15, no Sírio Libanês, para a realização de exames de controle, que apontaram novos pontos de tumores nos ossos e fígado. Segundo os médicos, a alta, que deveria acontecer no início da semana, foi suspensa após ter sido constatada a presença de líquido nos órgãos, desencadeada pela presença dos nódulos no fígado.

O líquido está localizando entre as pleuras, tecidos de revestimento nos pulmões e tórax. Um tratamento com drenos foi iniciado no dia seguinte e Covas está recebendo suplementação nutricional para que estar preparado para o tratamento.

Segundo explicado pela equipe médica, todos possuem o líquido pleural, que é composto por vitaminas e água, e que é normal que se acumule em pacientes de tratamento oncológico. O pequeno volume de líquido causa incômodo na função respiratória.


No entanto, a condição clínica de Covas foi descrita pela equipe com “bem confortável”, e eles aguardam a drenagem do líquido para que o prefeito possa receber alta hospitalar. A equipe preferiu mantê-lo internado para uma melhor adequação ao novo tratamento contra a metástase nos ossos e no fígado.

Como perdeu um pouco de peso, Covas está recebendo alimentação parenteral (por meio de uma sonda) durante as madrugadas, enquanto dorme, para complementar a alimentação durante o dia, que acontece de forma natural.

Resumindo a situação do prefeito, os médicos explicaram que Bruno está respondendo bem ao tratamento, e que permanecerá despachando do hospital, sem exposição pública.

Nas redes sociais, Bruno Covas agradeceu pelo apoio, afirmando que lhe dão “cada vez mais força”. Ele acrescentou que seguirá “de cabeça erguida e cumprindo, junto com minha equipe, os compromissos com São Paulo”.


Comerciante paulista celebra aniversário arrecadando alimentos para doar a necessitados

Artigo Anterior

Ex-miss e empresária morre aos 38 anos depois de passar por complicações da covid-19

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.