ColunistasComportamentoPais e Filhos

A criança magoada em nós…

A CRIANÇA MACHUCADA EM NÓS FOTO DE CAPA

E muitas vezes não entendemos a presença daquela insegurança chata que persiste no decurso de nossas vidas. Insegurança que muitas vezes nos reprime a transcender na vida e não nos permite a enxergar além da superfície, pois mergulhar fundo significa encará-la.



Ela aparece sem bater na porta e nos invade diante de várias situações: no campo profissional ou em todos os nossos relacionamentos – amigáveis ou amorosos. Mas de onde vem tanta insegurança? Certamente vem do nosso passado e se manifesta no presente através da criança magoada que há em todos nós. Descobrir tal origem é primordial para o crescimento desta criança.

Engraçado, e eu que sempre acreditei que desbravar o desconhecido era mais difícil. Mas…desbravar o terreno conhecido do nosso passado cheio de mágoas é sem dúvida uma exploração bem mais árdua e dolorosa.

a-crianca-machucada-em-nos-foto-01


No entanto, nossas mentes nos protegem tanto de descortinar as marcas dos nossos passados que projetamos os motivos de nossas reais inseguranças nos chefes destemperados, nos falsos amigos ou nas rejeições dos nossos  parceiros. E na verdade…a insegurança é só nossa e ninguém do pressente tem nada a ver com isto. Ela brotou do passado através da relação com os nossos pais.

Entretanto, a melhor verdade que conheci sobre a gestação dessa insegurança em nós  é que nunca houve culpados ou vítimas. Nossos pais com seus cuidados ou descuidos excessivos jamais foram invulneráveis a conflitos pessoais, como nem tão pouco nós somos.

a-crianca-machucada-em-nos-foto-02

Eles fizeram o melhor que puderam. Foram e são tão humanos quanto nós. E mais…como exigir afeto deles se em outrora talvez não receberam? Só podemos dar algo que já possuímos ou que aprendemos em vida.


Então, chegou a hora desta criança magoada em nós, perdoar seus pais do passado. E só assim…ela crescerá através da libertação de suas amarguras e ganhará asas para obter o voo do sucesso profissional e relacional.

A saudade é uma bênção! só sente quem tem o que vale a pena lembrar…

Artigo Anterior

Antes eu gostava do sol…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.