Cristãos, judeus e muçulmanos se unem em oração pelo fim da pandemia, pela primeira vez

4min. de leitura

Representantes das três religiões se reuniram em um hotel de Jerusalém para juntos orar pelo fim do coronavírus. Em tempos difíceis como este, a união faz a força!



Uma grande prova da união do mundo contra o coronavírus. No último dia 22, patriarcas, rabinos, xeques e imãs se reuniram no terraço do King David Hotel, em Jerusalém (Israel) para orar juntos pelo fim do coronavírus, com transmissão ao vivo.

O patriarca greco-ortodoxo, Theophilos III; o patriarca latino, Pierbattista Pizzaballa; os principais rabinos de Israel, Yitzhak Yosef e David Lau; os imãs Gamal el Ubra e Agel Al-Atrash; e o líder espiritual druso, Sheikh Mowafaq Tarif, deixaram as diferenças de lado e se reuniram no mesmo lugar para enviar uma mensagem de força ao mundo nesta pandemia.

Usando a própria linguagem litúrgica, os líderes deram um grande exemplo para todos nós. A oração dos líderes foi a seguinte:


Deus, tu que nos alimentaste na fome e nos proporcionaste abundância, libertaste-nos da praga e de doenças graves e duradouras, ajuda-nos.

A oração conjunta é inédita, de acordo com os organizadores do evento. A ideia da união partiu do Rabinato de Israel, dos ministérios das Relações Exteriores e Internas e do Conselho Mundial de Líderes Religiosos.


Durante a cerimônia, os representantes religiosos disseram que a pandemia afetou toda a humanidade, independentemente de religião, gênero e raça, e pediram que todos se unam e orem conjuntamente por saúde e unidade.

O encontro também serviu para abordar outros assuntos importantes e que estão causando preocupações aos líderes religiosos por conta da pandemia, de acordo com a ABC Internacional, como xenofobia e racismo, que estão tornando-se mais comuns em diversos países.

Durante o encontro, o arcebispo Pizzabala mencionou a descrição que a Bíblia faz de Jerusalém como uma casa para oração de todos os povos e falou sobre a importância do encontro, reforçando que a pandemia vai muito além de raças, religiões ou fronteiras políticas.

Ele também manifestou o desejo de que, depois da pandemia, pessoas de diferentes religiões continuem unidas, fazendo a mesma oração. Segundo ele, Jerusalém precisa disso.

Nesse momento de crise, a religião é uma fonte de segurança e esperança para muitas pessoas. Nesse sentido, esse grande gesto dos representantes religiosos nos mostra que a luta é maior do que qualquer diferença de fé e que a união nos fará vencedores.

Certamente um grande exemplo que deveria ser replicado no mundo todo.

O que achou dessa união?

Comente abaixo sua opinião e compartilhe o texto com os amigos através das redes sociais!

 

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos. Direitos autorais da imagem do texto: Jewish News/Times of Israel.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.