Culpa materna: talvez não possamos impedir que ela chegue, mas podemos fazer com que não permaneça

Ah… a culpa materna! Se ainda não chegou, prepare-se que ela vem. Ela é aquele tipo de visita que, se permitirmos, não vai embora. Ela se acomoda e acaba ficando… um, dois dias… se dermos corda, fica mais e vira tudo do avesso.

A culpa materna é aquela que às vezes chega do hospital junto com a gente; às vezes, demora, mas vem junto com uma vizinha que aparece para ver o bebê e solta aquele palpite “simples e sem maldade”.

Por vezes ela aparece igual penetra em festa… quando nos damos conta, já comeu, bebeu e dançou com todo mundo, e assim como o penetra, não sabemos como expulsá-la.

A culpa materna vem sempre quando o peito sangra na amamentação, quando rola uma mamadeira aqui, outra ali. Ela também costuma chegar de madrugada, enquanto todos dormem – e você está ali, prontinha, à sua espera, pensando se está fazendo um bom trabalho como mãe.

A culpa materna também vem quando o filho da amiga aparenta ganhar mais peso, ter se alimentando melhor, ou parece se desenvolver mais rápido.

Ela chega quando a sogra opina que algo está errado ou quando os mais velhos dizem: “Na minha época, não se fazia assim”.

Ela aparece naquele industrializado que demos para a criança, num dia de muita correria ou no “não” que não pudemos evitar.

Muito se engana quem pensa que ela chega apenas para a mãe de primeira viagem, ela chega para as mães de um modo geral.

A culpa materna não escolhe referenciais, ela não dá preferência para a mãe do recém-nascido ou do adolescente. O objetivo dela é extravasar!

A culpa materna surge assim: do nada! Quando menos se espera, lá estamos nós nos culpando, questionando, sofrendo por achar que tudo está errado.

Ela também se faz presente na luta diária contra o cansaço e, por vezes, naquele choro de cólica do bebê, que dói mais na alma que na barriga.

A culpa materna é assim, ela vasculha até achar um canto onde possa se instalar. Você talvez não possa impedir que ela chegue, mas certamente pode fazer com que ela não permaneça.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf / stockbroker



Deixe seu comentário