Cultive a paz e ela estará contigo em todos os seus momentos!

Paz não é somente o oposto da guerra, nem a inexistência de conflitos e bate-bocas. Paz é a transformação de atitudes que cada ser pode ter e todos se beneficiarem.

Queremos usufruir de uma grande paz, mas não queremos fazer a mudança necessária para que isso aconteça.

Muitos pedem pela paz, clamam por ela, mas vivem manifestando desarmonia e conflitos, alimentando discórdias por onde passam. Instigando a violência por menor que seja sem se dar conta do tanto que contribui para um mundo mais hostil e desajustado.

É importante atentarmos para a nossa vida cotidiana, perceber o que fazemos dela, o quanto investimos para vivermos em paz e mantê-la, a um ponto que possamos expandi-la por todos os lugares que passarmos.

A paz começa em nosso interior, é uma busca constante, um cultivo interminável, e quando plena não se deixa corromper, não é roubada, mas contagiada e sentida por todos que estão ao nosso redor.

Cultivar a paz é quando conseguimos ter o amor e o respeito pelo próximo, é evitar a maledicência e exercer a paciência quando algo não sai como planejamos ou alguém não nos respeita como merecemos.

É fazer com que prevaleça a justiça e igualdade, que tenhamos compaixão e generosidade com nós mesmos e com os outros.

É não alimentar o conflito, e ter o discernimento de que muitas vezes é mais vantajoso estarmos em paz do que estarmos certos, praticando o bem em qualquer adversidade e enfrentando a oposição sem denegrir e sem maldade.

Cultivamos a paz quando respeitamos opiniões alheias, e deixamos de ser juízes, abstendo-nos de julgamentos, não gerando conflitos, mas interagindo com elas, semeando a compreensão e a serenidade.

Cultivamos a paz quando nosso time perde e parabenizamos o vencedor, quando o político não preferido ganha as eleições e nos juntamos num pensamento e atos positivos em prol de um bem comum, respeitando a democracia e o direito de todo o cidadão.

A paz pode ser cultivada quando presenciamos uma forma de amor diferente da nossa. Se é amor, a essência prevalece. Quando abolimos todos os tipos de preconceitos e discriminações de uma pessoa por características distintas.

Cultivar a paz é manter a integridade física e emocional de quem quer que seja. É preservar a harmonia no lar, estendendo-se no trabalho e por onde andar. É propagar a cultura de paz, treinando a gentileza, exercitando a solidariedade, procurando oportunidades de pacificar, canalizando construtivamente toda a raiva e frustrações,  praticando atitudes saudáveis.

E vivenciar aquela paz citada pelo Apóstolo Paulo: “A paz que excede todo o entendimento”.

E que façamos por merecer em receber a dádiva das palavras de Jesus: “Deixo-vos a paz! A minha paz vos dou”!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF/venusvi



Deixe seu comentário