4min. de leitura

A cura está no tempo, na confiança no plano superior, em deixar ir e ser grato pelo que se aprendeu

A cura está no tempo, em nós mesmos. Está em nos perdoar todos os dias.

Está em fechar os olhos e deixar que a dor vá cessando, até que um dia possamos abri-los novamente sem nos sentirmos mais incomodados com aquilo que nos ressecou, sem que as lágrimas escorram como quem um dia quis dentro delas se afogar.


A cura está em quando procuramos o bem estar na alma e nos aquecemos na espiritualidade, na renovação do espírito, está em mentalizar o que não se deseja mais, está em deixar ir e agradecer pelo que aprendeu, está em não sentir culpa.

A cura vem do luto, vem do próprio tempo, vem assumindo as próprias fragilidades e incertezas, esvaziando aos poucos as prateleiras acumuladas de resquício de mágoa e tristeza.

A cura salva, renova, realinha, traz vida nova, traz mais sensibilidade e coragem, traz um tempo diferente daquele que passou.

Cure-se de tudo que lhe trouxe dor, cure-se de todas as pessoas que um dia lhe deram indiferença, que não souberam lhe dar amor, cure-se de cada coisa ruim que passou, mas agradeça pela vida, pela sensação de que um dia pode nascer, novo em folha, e que a felicidade pode ser momentânea, passageira, mas ela nunca é finda, porque ela se mantém ali, onde o coração estiver disposto a buscá-la deixando o tempo cuidar de tudo.


Uma vida sem percalços não ensina; uma vida sem sofrimento, não eleva; uma vida sem sabedoria é analfabetismo para a alma.

É assim que vamos aprendendo; pelo amor, pela dor, mas nos mantendo conscientes de que o melhor remédio ainda é o amor- próprio e a vontade de continuar.

Cure-se assim como eu estou me curando. Assim como eu tenho me prolongado menos naquilo que já deu, assim como as coisas que esperei receber e nunca tive depois de ter levado uma tapa na cara da vida e aberto mais o olhar para dentro de mim e entendido que não adianta. Certas coisas não adiantam mais, atrasam envelhecem, corroem.


Ninguém se cura assim, rapidamente. É preciso querer, é preciso lutar por si mesmo, é preciso reaprender a engatinhar muitas vezes por conta daquele buraco negro que fica no peito, por conta daquela sensação de estranheza de não sermos aceitos, muitas vezes, por sermos assim.

A cura vem da oração, do pedido com fé, da libertação por vezes tardia, por vezes impactante.

A cura vem do que necessitamos para seguir adiante. Mas tem que vir com sinceridade, entrega e confiança no Plano Superior, na confiança em si mesmo.

A cura é um milagre benéfico ao coração.

_____________

Direitos autorais da imagem de capa: wavebreakmediamicro / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.