Pessoas inspiradoras

Jovem da periferia do RJ que vendia salgados para ajudar família, se torna modelo internacional!

Foto: Instagram
Da periferia para o mundo Modelo do Rio que vendia salgados é estrela de campanhas de grandes marcas

Joyce Oliveira vendia doces e salgados para aumentar a renda da casa, e conta que sempre viu no trabalho uma forma de se emancipar financeiramente.

As pessoas são feitas de sonhos, trabalhadas e lapidadas naquilo que almejam em suas vidas, assim como pelos caminhos que precisam percorrer para alcançar o sucesso – seja ele profissional ou pessoal.

Nem todos conseguem nascer cercado de privilégios, inclusive, a maioria da população mundial precisa se esforçar – e muito – para chegar perto daquilo que traça como objetivo.

Ainda assim, uma dose de oportunidade é sempre bem-vinda, principalmente para aqueles que precisam de mais do que apenas talento para chegar onde desejam. Para Joyce Oliveira, de 23 anos, o trabalho nunca representou um problema, pelo contrário, ela sabia que seria a solução para uma vida mais tranquila, e, justamente por isso, nunca viu problema em se esforçar para alcançar seus sonhos.

Nascida em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, ela contou em uma entrevista ao Extra que nunca chegou a passar necessidade em sua vida, mas que tampouco se viu cercada de luxo. Quando era mais jovem, Joyce fazia e vendia trufas para ajudar os pais, realizando desde a compra dos ingredientes até o manuseio do produto. A jovem também vendeu salgados com os pais, e revela que em momento algum se sentiu abalada ou afetada por precisar trabalhar, pelo contrário, o trabalho sempre foi o caminho que enxergou para a conquista de seus objetivos.

O grande sonho de Joyce sempre foi, desde a infância, se tornar modelo, e quando conseguiu ter idade o suficiente, passou a conciliar o trabalho, os estudos e os concursos de beleza, esperando que um dia pudesse ser “descoberta”. Em 2016, depois de participar de uma das edições, a sorte acabou mostrando os dentes em um sorriso, e ela foi chamada para trabalhar como modelo fora do país por um olheiro importante da área.

3 5 1

Joyce Oliveira – Direitos autorais: Reprodução/ Instagram

A descoberta do talento de Joyce pode soar como um roteiro de filme teen, mas foi preciso talento além do punhado de sorte. Na época, ela tinha apenas 16 anos, e sequer tinha finalizado o ensino médio, mas mesmo assim, com o apoio da família, ela começou a trabalhar na área. De acordo com a jovem, sua vida mudou da noite para o dia, e sua mãe sempre fez questão de acompanhar cada um de seus passos, zelando pelo bem-estar da adolescente.

7 1

Joyce Oliveira – Direitos autorais: Reprodução/ Instagram

Mesmo tendo nascido e crescido na periferia do Rio de Janeiro, Joyce seguiu alimentando o sonho de um dia se tornar destaque como modelo profissional, visualizando o momento em que poderia, finalmente, tirar a família do aperto. Desde o início, com muita dedicação, ela mostrou que tinha nascido para ser modelo, e chegou a morar por um ano em São Paulo, onde começou a pegar grandes trabalhos com marcas conhecidas.

Joyce também viu sua carreira decolar quando foi para Londres, onde permaneceu por uma temporada, fechando contratos e desfilando. Depois disso, a vontade de entrar na universidade apareceu, e ela chegou a cursar durante um tempo Gestão Empresarial, mas acabou percebendo que seria muito difícil conciliar as duas áreas, e achou melhor se concentrar apenas em uma, fazendo bem feito aquilo que sempre sonhou realizar.

4 4 1

Joyce Oliveira – Direitos autorais: Reprodução/ Instagram

A jovem agora sonha em se tornar destaque na sua área, ganhando espaço no Brasil e no mundo, mostrando que nasceu para brilhar e fazer sucesso. Para Joyce, saber que saiu da  periferia e que tem chances de mudar completamente a realidade da sua família, sendo uma mulher preta, é, por si só, uma enorme vitória. Além de representar o país, ela também representa uma minoria sociológica brasileira que, em muitos momentos, está em busca de representatividade.

0 %