Dalai lama compartilha fortes palavras sobre guerra e lavagem cerebral em massa:

No cenário do brutal ataque terrorista de Londres que deixou 4 mortos e 40 feridos, um momento de introspecção sobre a natureza da guerra e da violência é devido.



Felizmente, Dalai Lama escreveu extensivamente sobre este assunto, incluindo a relação entre lavagem cerebral em massa e guerra.

Em um texto intitulado “A Realidade da Guerra”, o renomado monge budista fala sobre este fenômeno mortal:

“É claro que a guerra e os grandes estabelecimentos militares são as maiores fontes de violência no mundo. Seja seu propósito defensivo ou ofensivo, essas vastas e poderosas organizações existem exclusivamente para matar seres humanos. Devemos pensar cuidadosamente sobre a realidade da guerra.

A maioria de nós tem sido condicionado a considerar o combate militar emocionante e glamouroso – uma oportunidade para os homens provarem sua competência e coragem. Como os exércitos são legais, sentimos que a guerra é aceitável. Em geral, ninguém sente que a guerra é criminosa ou que aceitá-la é atitude criminosa.


Na verdade, nossos cérebros têm sido lavados. A guerra não é glamourosa nem atraente. É monstruosa. Sua própria natureza é de tragédia e sofrimento.”

Nossas percepções culturais equivocadas sobre a guerra nos ajudam a justificar, em nossas mentes, a brutalidade dessa prática antiga.

Como o Dalai Lama aponta, o combate militar costuma ser retratado como glamouroso, ajudando os jovens a justificar atos de autosacrifício como o terrorismo.

Assim como a propaganda islâmica pode convencer um terrorista a acabar com sua vida, a propaganda governamental pode ser usada para alistar dezenas de milhares de jovens para combater guerras estrangeiras em falsas premissas.


Não existe maior exemplo disso do que a guerra no Iraque, que foi iniciada em uma mentira e terminou com milhares de soldados americanos mortos e mais de um milhão de mortes civis iraquianas.

Dalai Lama continua:

“A guerra moderna travou-se principalmente com diferentes formas de fogo, mas estamos tão condicionados a vê-la como emocionante, que falamos sobre esta ou aquela arma maravilhosa como uma notável tecnologia sem lembrar que, se ela for realmente usada, vai queimar pessoas vivas. A guerra também se assemelha fortemente a um incêndio na forma como se espalha.

Se uma área fica fraca, o comandante envia reforços. Isto significa jogar pessoas vivas em direção ao fogo. Mas porque fomos manipulados, através de lavagem cerebral, a pensarmos desta maneira, não consideramos o sofrimento dos soldados, por exemplo. Nenhum soldado quer ser ferido ou morrer.

Nenhum de seus entes queridos quer mal para eles. Se um soldado é morto ou mutilado, pelo menos mais cinco ou dez pessoas – seus parentes e amigos – sofrem também. Todos deveríamos ficar horrorizados com a extensão dessa tragédia, mas estamos muito confusos.”

Ele usa o termo “lavagem cerebral”, que é uma distinção importante: requer uma orientação errônea fundamental de nossas próprias capacidades mentais para esquecer a brutalidade óbvia da guerra.

Na verdade, é essa lavagem cerebral que concede aos ditadores o poder de organizar e usar soldados em primeiro lugar:

“Não importa quão malévolos ou maus são os muitos ditadores assassinos que atualmente podem oprimir suas nações e causar problemas internacionais, é óbvio que eles não podem prejudicar outras pessoas ou destruir inúmeras vidas humanas se não tiverem uma organização militar aceita e tolerada pela sociedade.”

O valor da vida humana é muitas vezes desprezado, mas como Dalai Lama aponta:

“Devemos nos sentir fartos da violência e da matança acontecendo ao nosso redor. Se um ser humano é morto por um animal, é triste, mas um ser humano ser morto por outro ser humano, é impensável.

Temos de fazer um esforço especial para pensarmos uns nos outros como seres humanos, como nossos irmãos e irmãs.”

____

Traduzido pela equipe de O Segredo – Fonte: David Wolfe

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.