Dando aDeus ao luto…

Depois que perdi minha mãe precisei rapidamente pular da idade mental para a idade cronológica. A maturidade demorou um pouco mais a chegar, apesar da necessidade inerente. Mas a vida não para pra gente voltar a funcionar emocionalmente, é seguir em frente ou seguir em frente.



Provavelmente tenha acontecido com outras zilhões de pessoas na mesma situação. E só quem passa pela perda de um ente querido sabe o quão difícil é segurar o rojão, não importa nossa quantidade de anos na Terra.

A separação abrupta nos deixa sem chão e sem rumo.

Mas a dor do adeus não se limita a pessoas. O luto também se estende para a perda de algo importante como emprego, viagem, um objeto, enfim.


De acordo com a psiquiatra Elisabeth Kubler-Ross o luto se divide em 5 fases:

dando-adeus-ao-luto-foto-02

Fase 1- Negação

Seria uma defesa psíquica que faz com que o indivíduo acaba negando o problema, tenta encontrar algum jeito de não entrar em contato com a realidade seja da morte de um ente querido ou da perda de emprego. É comum a pessoa também não querer falar sobre o assunto.



Fase 2- Raiva

Nessa fase o indivíduo se revolta com o mundo, se sente injustiçada e não se conforma por estar passando por isso.


Fase 3- Barganha

Essa é fase que o indivíduo começa a negociar, começando com si mesmo, acaba querendo dizer que será uma pessoa melhor se sair daquela situação, faz promessas a Deus. É como o discurso “Vou ser uma pessoa melhor, serei mais gentil e simpático com as pessoas, irei ter uma vida saudável. ”


Fase 4- Depressão

Já nessa fase a pessoa se retira para seu mundo interno, se isolando, melancólica e se sentindo impotente diante da situação.


Fase 5- Aceitação

É o estágio em que o indivíduo não tem desespero e consegue enxergar a realidade como realmente é, ficando pronto para enfrentar a perda ou a morte.

Com certeza absoluta em algum momento de nossas vidas iremos passar por situações extremamente difíceis com a perda de quem amamos ou de algo que idealizamos e com muita luta conquistamos, faz parte da jornada. E sem sombra de dúvida estaremos em transito por uma das 4 primeiras fases, até chegar na quinta e última entre trancos e barrancos, mas finalmente firmes e fortes.

Se tratando de um ente querido a dor passa e fica a saudade e as lembranças que nos deixou.

Se chorou e lamentou a perda material, agora já é hora de novas conquistas e novos rumos.

Ficou sem o emprego, corra com determinação em direção de algo melhor…

O carro foi roubado e não tinha seguro, o jeito é trabalhar tudo de novo e comprar outro.

Teve que desistir da viagem tão planejada e sonhada, planeja outra e segue em frente.

Tristeza tem fim sim. A felicidade não!!! Mas só depende da gente.

As batalhas que enfrentamos são necessárias pra que sejamos vitoriosos na guerra.

A dor castiga e parece não ter fim, mas passa; O sentimento de derrota castiga e parece não ter fim, mas passa; A sensação de impotência castiga e parece não ter fim, mas passa.

E tantas outras coisas que nos assolam nesses momentos, se vão com a certeza de que sairemos fortalecidos e amparados por Deus e pela Fé que nos acompanha.

Claro que não poderia deixar de falar da presença de Deus e da Fé, porque São o que não nos deixa sucumbir.

O que nos dá esperança e força quando achamos que não vai dar mais pra aguentar.

É acreditar em algo que você não vê e não pega, mas sabe que está lá.É o que nos faz passar por todas as fases e ilesos.

dando-adeus-ao-luto-capa-foto-01

Eu consegui graças a Deus e a minha Fé passar pela dor, desespero, negação, raiva, barganha… aceitar, não sei se aceitei, mas precisei me conformar e hoje me conformo e sou feliz. Hoje posso ter a idade que eu quiser e dependendo do dia tenho 20 ou 90 anos.

Que Deus fortaleça, ampare e acalanta e a Fé enalteça a cada passo que der.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.