Família

Daniela Mercury sobre as 3 filhas que adotou no agreste paraibano: “O que nos une é sagrado”

Nas redes sociais, a cantora é só amor às filhas. Confira!



A adoção é uma das provas de amor e comprometimento mais especiais que podemos testemunhar. Ela pode acontecer de muitas maneiras, e todas nos cativam pela pureza e desejo genuíno de fazer o bem a quem realmente precisa.

Ter uma família de verdade é um direito de todos nós, e pela adoção muitas pessoas têm podido oferecer esse grande presente a crianças, jovens e até mesmo adultos que nunca conheceram o conforto de um lar.

Já contamos por aqui sobre várias pessoas que transformaram suas vidas por meio da adoção, entre eles alguns famosos, como Carol Nakamura, que é mãe de um menino que morava em um lixão do Rio de Janeiro.


Outra famosa que também se realizou por esse ato tão puro de amor é a cantora baiana Daniela Mercury. Em 2013, segundo informações do G1, ela conseguiu a guarda definitiva das meninas Márcia, Alice e Ana Isabel, que já moravam com ela havia cerca de dois anos. As três são de Esperança, no agreste paraibano.

Com o casamento da cantora com Malu Verçosa, a jornalista também se tornou mãe das meninas, e desde então têm vivido juntas, em um relacionamento genuíno, muito bonito de ver.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@danielamercury.

Em seu perfil no Instagram, Daniela está sempre compartilhando momentos em família. Em uma publicação de outubro do ano passado, em que a família aparece toda junta, enquanto cozinha, a baiana escreveu: “O que nos une é o mais sagrado, ninguém separa.”


Em outra postagem, a cantora compartilhou uma foto da família toda reunida, incluindo os outros dois filhos e os netos, e foi bastante elogiada pelos fãs e colegas na rede social. No entanto, nem tudo são flores. Apesar de a família ser muito bem resolvida e feliz, ainda precisa lidar com o preconceito e a falta de empatia de muitas pessoas.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@danielamercury.

Em abril deste ano, conforme a Vogue, Malu publicou um desabafo em seu perfil no Instagram pedindo que as pessoas deixem de se referir às três meninas como “adotadas”, porque não há nenhuma diferença entre elas. A jornalista também pediu que deixem de “separar irmãos”.

Infelizmente, até mesmo um ato tão poderoso e especial quanto a adoção se torna um motivo para que muitas pessoas tratem as outras com discriminação. Torcemos para que famílias como a de Daniela sejam enxergadas não pelas suas diferenças, mas pelo amor que as une.


Menino de 11 anos, que vendia água na rua para sustentar a mãe e 3 irmãos, recebeu mais de R$ 83 mil!

Artigo Anterior

Criança corre até distribuidora e salva mãe que era espancada

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.