Comportamento

Darlan, que treinou para as Olimpíadas em terreno baldio, ganha R$ 301 mil e ajudará projetos sociais

Terminando em quarto lugar na final de arremesso de peso masculino nas Olimpíadas de Tóquio, o atleta recebeu ajuda para conseguir ir para os Jogos de Paris, em 2024.



Neste ano, o Brasil bateu recordes nas Olimpíadas de Tóquio, colocando o país em uma posição única, que nunca esteve.

O 12º lugar no quadro geral, com sete ouros e 21 medalhas no total, foi conquistado, principalmente, pelos nordestinos e pelas mulheres, que impulsionaram os resultados, fazendo com que ocupássemos uma posição em que nunca estivemos.

As mulheres subiram ao pódio nove vezes, um recorde na história da participação das mulheres nos jogos, além disso, o Nordeste foi responsável pela nossa grande quantidade de medalhas. Quando consideramos apenas os esportes individuais, quatro de cinco medalhas de ouro foram para atletas nordestinos.


Outro fato que chamou a atenção dos brasileiros foram as condições que os atletas chegaram para disputar as olimpíadas. Dos 309 atletas, 131 não tinham nenhum patrocínio, 36 realizavam permutas, 41 fizeram vaquinhas para arrecadar dinheiro e 33 precisam trabalhar em outro local para conseguir pagar as contas.

Darlan Romani, que ficou em quarto lugar na final de arremesso de peso masculino, em Tóquio, ganhou uma vaquinha virtual para conseguir ir aos Jogos de Paris, em 2024. A iniciativa começou depois que as imagens do atleta treinando em um terreno baldio durante o lockdown viralizaram.

O público se sensibilizou e chegou a arrecadar mais de R$ 300 mil. Segundo reportagem do UOL, a meta do atleta era arrecadar R$ 150 mil, mas as doações superaram a meta. O atleta informou, nas suas redes sociais, que vai devolver o valor a mais para a sociedade, em forma de projetos sociais.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@darlan_romani.


Darlan ainda explicou que o dinheiro vai auxiliar muito em um momento de transição e encerramento de contrato, até o momento de assinar o novo contrato, já que as contas “não param de chegar”.

O atleta ainda convidou toda a população para conhecer os projetos sociais em que atua diretamente: Atletismo de Rua e Atletismo na Escola. O local onde ele treinava antes das olimpíadas, em Bragança Paulista (SP), acabou fechando durante a pandemia, por isso ele conta que precisou adaptar um local para manter sua preparação.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@darlan_romani.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@darlan_romani.


Mesmo enfrentando dificuldades, uma cirurgia de hérnia de disco e a ausência de um treinador, Darlan conseguiu alcançar o quarto lugar na final, mostrando que a resistência e a garra não lhe faltam.

Ainda na sua publicação no Instagram, o atleta agradeceu a todos pelo carinho, pelo respeito e pelo amor que cada sentiu por ele e pela sua participação. Ele informou que já começou a se dedicar 300% ao treinamento, já que 200% não foi suficiente para  conquistar a medalha. O apoio e a empatia do público fizeram com que Darlan se sentisse ainda mais motivado para as próximas Olimpíadas, e espera que todo seu esforço seja finalmente recompensado.

Mulher que “já tinha desistido” de empregos por estar grávida é contratada em empresa dos sonhos!

Artigo Anterior

Detetive que investigou caso de menino órfão se sensibiliza e o adota. “Ele tem um coração enorme”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.