5min. de leitura

De acordo com estudos, pessoas neuróticas podem realmente viver mais…

Se você responder sim a perguntas como: “Seus sentimentos são feridos facilmente?” ou “Você já se incomodou com sentimentos de culpa?” Parabéns!


Você pode viver um pouco mais. Estudos científicos estão constantemente entrando em contradição. Um dia, o café causa insuficiência orgânica, no outro ele evita o suicídio. O mesmo acontece com chocolate, vinho tinto, frutas, pão e agora: neura.

Normalmente, ser neurótico, um traço de personalidade caracterizado por ansiedade, irritabilidade, nervo, preocupação, culpa, traços obsessivos compulsivos e/ou depressão, não é algo sobre o qual você se vangloria. A maioria dos estudos anteriores sugeriu que aqueles que exibem essa característica apresentaram menor saúde física.

Mas novas pesquisas sugerem o contrário: tendências neurológicas podem realmente ajudá-lo a viver mais.

“Há desvantagens de ser um neurótico, na medida em que torna as pessoas mais propensas a experienciar emoções negativas”, disse Catharine Gale, principal autor do estudo. “Mas nossas descobertas sugerem que também pode haver algumas vantagens. Para alguns indivíduos, parece oferecer alguma proteção contra morrer prematuramente”.

O artigo, analisou seis anos de dados de 500 mil pessoas no Reino Unido entre 37 e 73 anos, um amostra “muito maior do que qualquer estudo anterior que examinou a relação entre na neura e os riscos de morte.” Os sujeitos completaram um teste de personalidade para determinar seus níveis de neura e responderam perguntas sobre suas escolhas de estilo de vida, história médica e (essa é a chave) quão saudáveis eles se sentiam.


Eles descobriram que, entre as pessoas conscientes de que eram saudáveis poderiam ser melhores, aqueles com níveis mais altos de neura estavam realmente em vantagem.

Verificou-se que eles tinham um risco reduzido de todas as formas de morte prematura. “Nossas descobertas mostram que a relação varia dependendo de como as pessoas classificam sua saúde”, disse Gale. “Se as pessoas classificassem sua saúde como excelente, então seu risco de morte não tinha relação com o fato de serem um pouco neuróticas. Mas entre as pessoas que classificaram sua saúde como ruim, ser muito neurótico parecia ter um pequeno efeito protetor contra morrer prematuramente “.

Além disso, aqueles que apresentavam tendências neuróticas especificamente ligadas a preocupação e vulnerabilidade, realmente apresentavam menor risco de morte, sentindo-se saudaveis ou não.


Estas são as pessoas que responderam sim a perguntas como: “Seus sentimentos são feridos  facilmente?” Ou “Você se preocupa muito depois de uma experiência embaraçosa?”

Isso é provável porque as pessoas com esse tipo de personalidade são mais propensas a ver seus médicos regularmente (o que leva a diagnósticos precoce, especialmente com câncer).

No entanto, eles se envolvem na mesma quantidade de hábitos não saudáveis (fumar, beber, sentar por longos períodos de tempo, comer mal) com os assuntos menos neuróticos, o que surpreendeu os pesquisadores.

“Nós pensamos que uma maior preocupação ou vulnerabilidade pode levar as pessoas a se comportarem de forma mais saudável e, portanto, diminuir o risco de morte”, disse Gale.

Esta é uma boa notícia para muitas pessoas, uma vez que ser neurótico não é algo incomum. Mas esses resultados não significam, no entanto, que a neura seja uma “coisa saudável”. A grande maioria das outras pesquisas liga as emoções positivas à boa saúde, pelo que o raciocínio por trás das conexões observadas neste caso permanece obscuro (além do fato de que as pessoas neuróticas tendem a visitar o médico com mais frequência).

Com uma amostra tão grande e prazo, no entanto, Gale disse que se sente confiante de que as pessoas neuróticas têm pelo menos alguma proteção contra uma morte precoce. “Agora, precisamos descobrir o porquê disso”.

______

Traduzido pela equipe de O Segredo  Fonte: Mystical Raven

 

Direitos autorais da imagem de capa: dolgachov / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.