ComportamentoO SegredoRelacionamentos

Dê-me asas para voar e motivos para ficar

Devemos amar de modo com que a pessoa amada se sinta livre. O amor não é um navio que tem de ser ancorado. O amor deve ser deixado à deriva, sem soltar o leme. Claro que não é fácil, ninguém disse que era, mas a recompensa vale o esforço.



Temos de nos libertarmos da ideia de escravidão consensual que nos sujeita a distâncias curtas e longas.

“Embora não seja fácil, a construção de um relacionamento rico e quente depende de cada um ter tempo reservado para criar suas asas, cuidá-las, mimá-las e voar. Em outras palavras, não há coerção, só liberdade.”

Quando não queremos voar


Às vezes, nossas asas se tornam preguiçosas e se acomodam na vida em casal. Acomodamos-nos à tranquilidade que oferece a rotina e relaxamos até o ponto em que se torna monótona. E a monotonia leva ao tédio e apatia, que nos fazem perder o hábito e esquecermos como alçávamos voo.

No entanto, às vezes nossas asas estão machucadas e, por isso, dói voar. É provável que as tenhamos ferido ao aprisioná-las, ou que em sua vibração desesperada, elas tenham se chocado com a nossa indiferença, sendo vencidas pelo tempo.

“Podemos nos desculpar pelo que quisermos, mas não há razões que justifiquem o fato de não nos permitirmos voar. A este respeito, um parceiro deve ajudar, encorajar novas conquistas de seu par, para que consiga uma maior visão de mundo.”



A raiz torna a árvore sólida

Relações livres e saudáveis ​​são dinâmicas e estão em constante mudança, assim como as pessoas.

“Enraizar significa nutrir e alimentar nossos sentimentos, enchê-los de ar e deixá-los respirar. Neste sentido, é muito importante a confiança e equilíbrio que nos permitem trabalhar em nossas asas e fazer com que elas se entendam com nossas raízes.”

Isto é, se queremos um relacionamento sólido e forte, temos que deixar nossas asas voarem em busca de sustento para nos manterem fortes e saudáveis. Caso contrário, nossas raízes não terão como obter os nutrientes dos quais precisam para viver, o que fará com que o amor perela.



Equilibrarmos as nossas relações: Voarmos colecionando motivos

Para equilibrarmos as nossas relações, precisamos de razões para ficarmos. Mas cuidado, colecionar não é o mesmo que empilhar em um sótão. Colecionar razões é cuidar de cada momento que contribui para manter o amor vivo, cada sorriso e gesto.

A metáfora da árvore nos ajuda a compreender a importância de cuidarmos de cada pequeno detalhe e de não nos esquecermos que ao nos prendermos, perdemos nossa perspectiva e alimento. Em outras palavras, para criarmos o amor precisamos condenar nossas ilusões, para mantê-lo precisamos sustentar nossas decisões e permanência.


Deixemos que nosso amor se explique por si só, e que nossas sementes cresçam livremente. Deixemos que nossas asas voem e ofereçamos nossa ajuda ao demais para que também consigam. Não nos escravizaremos, porque o amor não é isso.

“Em suma, que nossas raízes sejam de liberdade e que nossas asas sejam vivas, que irradiem entusiasmo e respirem confiança. Porque, afinal de contas, esta é a única maneira através da qual podemos encontrar sentido ao que sentimos.”

 

___


Traduzido pela equipe de O Segredo

Fonte: La Mente es Maravillosa

12 segredos para uma vida livre de estresse

Artigo Anterior

Escolha a pedra certa para você !

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.