Reflexão

“De nada vale querer fugir das consequências do que vivemos. A vida pede contas” (pe. Fábio de Melo)

1 De nada vale querer fugir das consequencias do que vivemos A vida pede contas

Não existem atalhos quando o assunto é viver; independentemente de sua escolha, saiba que ela terá uma consequência, e não há como fugir disso.



Quantas vezes você não desejou pegar algum atalho, quando o assunto é vivência? Não é fácil viver em sociedade, a relação interpessoal é completamente entremeada de experiências e frustrações. Nem sempre o que fazemos agrada ao próximo, nem sempre o que nos acontece é facilmente compreendido, mas para tudo existe um ciclo natural.

Algumas etapas são naturais, e não existem formas de “tapear” essa realidade. Em alguns momentos, vai parecer que o fardo a ser carregado é pesado demais, que a vida não está sendo justa, mas essa é a forma como as coisas acontecem. Como não viver algumas experiências? Se uma pessoa que amamos parte, vamos precisar viver o luto. O processo doloroso nos faz duvidar de tudo, mas é parte importante do crescimento.

Uma das principais características do ser humano – e o que nos diferencia dos demais –, é que refletimos sobre o que nos acontece. Precisamos enfrentar nossos monstros, bater de frente com o que nos amedronta, e é isso que nos faz evoluir como indivíduos.


Não incidir no erro implica em compreender o motivo do erro, como fazer para mudar e enfrentar falhas individuais. É fácil aprender? Nem sempre. Mas para cada caminho que escolhemos seguir, uma sucessão de consequências estarão nos aguardando.

Quando optamos pelo caminho mais longo, pode parecer, em alguns momentos, que o fim não está próximo, que dificilmente vamos conseguir atingir nossos objetivos. Mas para quem é resistente e consegue ser firme em seus objetivos, a demora traz consigo resultados.

Quem escolhe trilhar um caminho mais simples pode achar que a trajetória foi simples e, num primeiro momento, sentir que a vitória está próxima. Mas para tudo existem consequências, e ninguém pode pular etapas. Mesmo que você tenha escolhido não se sacrificar tanto, saiba que no fim não vai sentir o verdadeiro gosto da conquista, porque não houve esforço verdadeiro.

A vida costuma ser uma senhora sábia, que age de maneira eficaz em cada um de nós. O que vai acontecer, na verdade, já começou. Todos os nossos atos se somam em um conjunto não linear de escolhas que culminam em nossa linha da vida.


Por isso, escolha sempre o caminho mais honrado, mesmo que seja o mais longo. Escolha ser bom, ao invés de implacável. Escolha sorrir, ao invés de apenas criticar o próximo.

Tudo o que fazemos impacta em nossas vidas e nas de nossos amigos e familiares. Todas as vezes que nos machucamos, nosso corpo precisará de tempo para curar a ferida, não há como pular a ordem natural das coisas. Mas tem como controlar as suas ações. Escolha não ser mau, escolha não ferir quem apenas lhe estende a mão, assim essa pessoa não precisará de tempo para seu corpo cicatrizar.

É tempo de encarar todas as nossas relações com responsabilidade. Nem sempre vamos fazer apenas o que gostamos, nem sempre as coisas vão sair conforme planejamos, talvez seja hora de compreender que nem tudo está sob nosso controle e que só conseguimos mudar aquilo que se prender entre nossos dedos.

Seja a sua melhor versão, essa é a melhor escolha que pode fazer, a vida, com seus ciclos naturais, vai se encarregar do resto. Apenas sinta e aprenda a evoluir.


O que achou desta reflexão?

Compartilhe-a nas suas redes sociais!

Paraibano que catava latinhas supera as dificuldades, e constrói o próprio posto de gasolina!

Artigo Anterior

Maqueiro pede que outras profissões da linha de frente sejam reconhecidas: “Não são só médicos e enfermeiros”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.