4min. de leitura

Dê valor a sua existência para que não viva uma vida medíocre!

Todos nós, quando amamos alguém, podemos, em algum momento, ter medo de perder essa pessoa.

São inúmeros casos que podem passar pela nossa cabeça. A traição pode ser uma experiência muito dolorosa para quem a vive. A pessoa traída pode apresentar muita dificuldade em confiar no parceiro novamente. Um dos medos relacionados pode ser o pensamento do parceiro se interessar por outra pessoa.


Esse é um assunto muito delicado, pois, além de envolver confiança, envolve autoestima. Não podemos viver tentando prever o futuro.

Pare por alguns instantes e perceba que a sua existência é muito mais significativa do que qualquer sentimento de raiva ou insegurança.  

Algumas pessoas não confiam no seu parceiro a tal ponto de olhar o celular dele escondido. Uma procura obsessiva por qualquer vestígio de traição. Você já percebeu quanto tempo de vida você perde com isso? Isso pode, eventualmente, acontecer. Não significa que vai. Seja seguro de si e esteja preparado. Caso isso aconteça mesmo que o deixe chateado, você lidará da melhor forma porque quem tem amor-próprio, não desperdiça existência. As coisas de ruim que acontecem em nossas vidas servem para revelar o caráter das pessoas que estão ao nosso lado.  

Ao invés de deixar o ciúmes tomar conta do seu relacionamento e das desconfianças, mantenha-se presente. Qual gatilho você é para o seu parceiro? Um gatilho de prazer ou um gatilho de cobranças ?

Seja a pessoa com quem seu parceiro dividiria as melhores e as piores notícias. Quando nos envolvemos, devemos estar com aquela pessoa, por aquilo que ela é e não por aquilo que precisamos. Isso significa que necessidades básicas, como a química entre o casal, não devem ser exclusivas para manter um relacionamento com alguém. Veja além. Você curte conversar com essa pessoa? Ela é alguém que o instiga, que o seduz de tal forma que você sempre quer mais?


Coloque numa balança. Será que esse relacionamento lhe faz mais mal ou bem? Relacionamento deve ser pautado na confiança. Não só na do parceiro. Mas na valorização do eu.

Quem se valoriza não precisa olhar o celular do outro o tempo todo, porque esse tempo sempre será ocupado com atividades enriquecedoras.

Valorizar quem se é, acolhe a ideia da reciprocidade. A autenticidade é o que traz a liberdade dentro de um relacionamento saudável. A nossa vida é muito mais do que brigas por mensagens em um celular, por ciúmes exagerados. Confiar é se arriscar todos os dias. Porque não sabemos o dia de amanhã, mas sabemos hoje que correr esse risco vale a pena. Que existir implica mais em se fazer presente do que tentar recompensar com ciúmes e brigas uma certa ausência.

______________


Direitos autorais da imagem de capa: atic12 / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.