Não importa se as pessoas a criticam. O que importa é o que você significa para si mesma. E não deve ser pouco…



Todo mundo tem poder, gente. Isso é fato. Quando temos a consciência desse poder, todas as forças do universo trabalham a nosso favor. Tudo caminha extraordinariamente bem. O porém dessa história toda é que, geralmente, nos encontramos divididos dentro de nós mesmos. Na grande maioria das situações, uma parte da gente caminha, e a outra fica parada por causa dos medos e das inseguranças. Um dos fatos, inclusive, que faz com que percamos nosso poder é a vaidade.

Vaidade é a ilusão de que eu vivo da opinião do outro. Vaidade é infantilidade, dependência e uma deturpação da imagem de si mesmo. Quer ver? Você já deve ter ouvido a seguinte frase: “Se você me amar, vou ser feliz”. Mentira, gente! Ninguém sente dentro de si mesmo o amor do outro. Mais um exemplo, que diz: “Quando todo mundo me aceitar, vou me sentir maravilhosa”. Pois eu digo que não! Somente quando você se aceitar é que realmente você vai se sentir gostosa, plena. Veja bem: você vive com aquilo que tem. Suas emoções, seus sentimentos, sua cabeça e não com a cabeça e o coração do outro. O grande erro do ser humano é que passamos a maior parte da vida submetidos à aprovação, à consideração, ao aplauso, ao apoio do outro. E, para tal, incorporamos um tipo qualquer, sacrificando, dessa forma, o nosso próprio espírito para agradar a terceiros. Enquanto estamos nessa situação, não somos nós mesmos, nem nos valorizamos.

A vaidade nos faz ter essa ilusão de que a opinião do outro é melhor. E, nessa ilusão, acabamos dando poder para o outro. E mais: quanto mais poder você dá para a fofoca, mais ela vem até você. Quanto mais poder dá às críticas, mais elas chegam. Quanto mais poder dá às perdas, mais elas acontecem. Mude essa dinâmica. Quanto mais importância você der para a sua sorte, suas conquistas e objetivos, para os seus sentimentos e suas verdades, mais fortes eles ficarão na sua vida. Respeitar-se é essencial.


Não importa se as pessoas a criticam ou a elogiam. O que importa é o que você é para si mesma. Conquiste seu próprio reconhecimento. Entenda o que funciona para você. Isso é o que basta! Diga não às amebas e seja responsável por si mesma. Se você está dando poder para os outros, com certeza está se rebaixando. Preste atenção: ninguém é menor que ninguém.

Quando você está sem a consciência desse poder, você teme a vida. Sente medo do amanhã, de não dar conta, de sofrer. Como você dá importância para essas ideias, não? Esse medo geralmente está baseado em falsos valores, nos mantendo pequenos e submissos. Você não vai a lugar algum enquanto não reverter essa situação. E não vai se realizar também. Então, acorde!

Recupere a sua lucidez espiritual e comece a jogar fora as impressões erradas que já teve de si mesma.

Tire o poder que está dando para outras pessoas e reformule seus pensamentos. Faça, desde já, uma campanha interior para tirar esse hábito que a deixa fraca, submissa, culpada, desprezada, cheia de pedras no seu caminho, resistindo ao seu verdadeiro anseio de vitória e conquista. É, minha gente, é um grande trabalho… Mas, se você não investir em si mesma, quem o fará? Não há ninguém maior que você. Desperte esta semana para dar apoio integral às suas verdades. Sinta a mudança que isso vai provocar na sua vida interior e exterior. Se banque! Quando está no seu poder, você arrasa.


Permaneça com essas palavras no seu pensamento.

___________

Por: Luiz Gasparetto


Vídeo prova que crianças não nascem preconceituosas, mas aprendem a ser

Artigo Anterior

Conheça a agência que só tem modelos com deficiência

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.