5min. de leitura

Deixe a postura de lagarta vítima do casulo e assuma o papel da borboleta azul que voa livremente…

O que você fez com a escuridão que viveu?



Há alguns meses, aproveitei meu dia de descanso para ir a uma cachoeira em Rio Acima, uma cidade próxima de Belo Horizonte. Como ela fica num local bem alto (e lindo!), precisamos subir 12 km, a pé, para chegar lá.

Na volta, após passarmos o dia lá em cima, vimos a borboleta mais bonita que já vi na vida. Ela era grande e tinhas as asas num tom incrível e único de azul royal. Que perfeição da natureza! Foi um momento mágico que ainda revejo com admiração em minha memória.

As semanas se passaram e, um dia destes, li algo de que gostei muito aqui no site: “talvez a borboleta seja a prova de que você pode passar por muita escuridão e se transformar em algo bonito”.

Não sei quanto a você, mas eu fico maravilhada com as metáforas e aprendizados que encontramos na natureza. Por isso, a própria logo que escolhi usar é uma flor de lótus. Você já viu uma flor de lótus? É uma flor lindíssima e de pétalas muito delicadas que nasce em meio à lama.


Então, logo comecei a pensar a respeito da beleza que pode nascer em meio ao caos. Plantas e insetos à parte, vejo este tipo de “milagre” na vida de inúmeras pessoas e inclusive em minha própria.

O interessante das grandes histórias de superação é justamente o fato de que as pessoas se tornaram melhores, em meio às dificuldades, ao desconforto e à dor.

Por que um ser humano morre em meio aos problemas, enquanto outro se torna mais forte, considerando-se que ambos estão sob as mesmas condições?


Bom, eu acredito que tanto o fracasso – e leia-se aqui “fracassar” como sinônimo de obter resultados ruins – quanto o sucesso dependem de uma decisão pessoal. E essa decisão, por sua vez, é bastante influenciada pela interpretação que fazemos da situação “problema”.

É só o seu ponto de vista.

Pense comigo mais um pouquinho sobre a borboleta azul. O momento da metamorfose nos permite fazer duas interpretações:

1. Dentro do casulo a lagarta sofria

2. Dentro do casulo a lagarta evoluía

E qual delas era mais verdadeira? Nenhuma das duas. Houve sofrimento e houve evolução (no sentido biológico e no sentido positivo da palavra). A questão é: em qual dessas duas interpretações possíveis você vai focar? Creio que esta seja uma pergunta para a vida.

Lembro-me de mim mesma em depressão há poucos anos atrás e das interpretações que fazia a respeito dos problemas que vivia. O que via, na época, como um mero sofrimento, hoje vejo como um preparo necessário.

A situação do passado não mudou. Eu tanto sofri como evoluí pessoalmente. Mas, naquele momento, ESCOLHI focar nas perdas, ao invés de nos ganhos. Hoje, felizmente, já mudei a minha maneira de pensar.

E é sempre assim. A interpretação positiva ou negativa que fazemos de cada situação é apenas uma escolha. A boa notícia é que podemos sempre escolher de modo diferente e melhor, não é?

E se você pudesse dar um novo significado a cada momento “escuro” e adverso que enfrentou em sua vida? E se você transformasse os períodos de desconforto nos “casulos” por quais passou em memórias FORTALECEDORAS de superação e evolução pessoal? E se hoje você decidisse criar uma interpretação empoderadora de sua própria história?

Eu o encorajo a deixar a postura da lagarta vítima do casulo para assumir o papel da borboleta azul que voa livremente. Lembre-se: a lama em que a lótus cresce não a impede de se tornar uma linda flor.

_________

Direitos autorais da imagem de capa: leekris / 123RF Imagens

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.