ColunistasReflexão

Demissão e renascimento

Demissão e renascimento

Ser demitido em época de crise parece algo terrível e assustador! Perder aquela segurança de todo mês ter o salário na conta e ter a liberdade de ir atrás dos seus sonhos é estarrecedor!



Ficamos estagnados, atualizamos o currículo, o linkedin, retomamos contatos antigos, potenciais indicações e saímos loucamente na busca por novas oportunidades. Não estávamos satisfeitos no trabalho e continuamos insatisfeitos sem ele.

Nietzsche dizia: “Como é perigoso libertar um povo que prefere a escravidão”.

Nós nos acomodamos ao que é seguro e confortável. É inerente! Mas, no mundo corporativo, nunca houve conforto ou segurança. Em todo momento há o medo de fracassar, errar ou não entregar o melhor resultado. E quanto maior o esforço, mais árduo é atingir o objetivo almejado do reconhecimento profissional o que não depende somente de você.


A verdade é que líderes atuais denominados “gestores de pessoas” se utilizam de técnicas de persuasão e elogios vazios para realizar o reconhecimento profissional de seus colaboradores.

E assim segue o funcionário no conforto de seu local de trabalho feliz e satisfeito.

E daí se há estresse, noites sem dormir e doenças físicas, psicológicas? Faz parte da rotina. “Ossos do ofício”. Mas chegará o fatídico dia da ruptura e não importa de quem partiu a decisão de cessar este acordo.

O estado de espírito será o mesmo: DESOLAÇÃO.


O novo é assustador! Você acaba de sair da zona de conforto. E por pior que pareça, este é o momento em que evoluímos: o RENASCIMENTO.

A quebra do status quo o impulsiona obrigatoriamente a seguir em frente, traçar uma rota, realizar seus sonhos, mudar de profissão, tirar da gaveta aquele plano há muito empoeirado e tomar as rédeas de sua vida e isto, SIM, é assustador!

Não há ninguém no comando além de você. Está livre! Bem-vindo à vida!



Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: lenetstan / 123RF Imagens


A humanidade só é carente daquilo que acredita ser. Quem se crê abundante e próspero já o é!

Artigo Anterior

Acomode-se em sofás, não em relacionamentos

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.