Pessoas inspiradoras

Depois de 2 meses intubada por causa de covid-19, jovem apresenta tese no hospital e consegue diploma!

Suas colegas da faculdade fizeram questão de suspender tudo que estavam fazendo para esperar o momento em que Allison se recuperaria para pegarem o diploma juntas.



A pandemia da covid-19 tem encerrado planos e pretensões antes mesmo de eles acontecerem. Quantos sonhos que nunca vão ser tirados do papel, quantas famílias que precisam lidar com o luto, pois perderam pessoas queridas para uma doença contra a qual existe vacina?

Os últimos meses foram difíceis e extremamente complicados para todos os cidadãos, deixando-nos afastados de quem mais amamos.

Allison Quispe Chávez passou por uma situação parecida, pois não conseguiu se despedir adequadamente do seu pai, que faleceu de covid-19.


Também infectada pelo vírus, a jovem precisou ser intubada, chegando a passar por uma traqueostomia, mas foram as mensagens que recebeu que lhe deram forças para continuar. Ela precisou ser induzida ao coma no dia 21 de janeiro, do qual só despertou dia 15 de março.

Mas o mais impressionante foi a iniciativa das grandes amigas da faculdade, Elizabeth Gutiérrez e Diana Guerrero, com as quais apresentaria o trabalho de conclusão de curso (TCC).

Com a intubação de Allison, as duas amigas tiveram a chance de defendê-lo, o que prontamente recusaram. Com a certeza de que a amiga se recuperaria, as meninas fizeram questão de avisar a todos que iam esperá-la.

Quando Allison acordou e viu as mensagens das amigas, ficou emocionada e sentiu que precisava se recuperar o quanto antes. Ela pediu ao médico para lhe providenciar um laptop, queria estar ao lado das meninas e sabia que elas precisavam da sua ajuda. O vínculo delas era forte, então precisavam passar pela formação juntas, inclusive na defesa do trabalho que fizeram juntas.


Direitos autorais: reprodução/arquivo pessoal.

Allison, que tem 26 anos, precisou usar oxigênio em casa por nove dias, segundo reportagem do El Comercio, cerca de três cilindros por dia. Sua mãe não queria interná-la, já que recentemente havia perdido o marido, que estava na UTI, mas ela foi percebendo que seu corpo não estava mais funcionando da maneira adequada. A jovem foi a um posto de saúde e ali mesmo foi intubada; três dias depois, um leito de UTI ficou disponível, e ela ficou lá por quase dois meses.

Direitos autorais: reprodução/arquivo pessoal.

Quando acordou, não conseguia acreditar que já estava em março, haviam se passado semanas desde que chegara ali. Sair da UTI também não significava que ficaria sem oxigênio, e foram mais três semanas precisando de ajuda para respirar.


Mas conseguiu, ao menos, usar o celular, já que não estava mais em coma, e se surpreendeu com a quantidade de mensagens recebidas. Todos lhe desejavam melhoras, inclusive as amigas, informando que iam esperá-la para apresentar o TCC.

Um mês depois que acordou, trabalhando todos os dias, pelo computador, de dentro do hospital, em 24 de abril, as três estavam diante da banca avaliadora. Nesse dia, Allison conta, de maneira descontraída, que pediu aos médicos para aumentar um pouco a quantidade de oxigênio. Todos ali sabiam que ela estava defendendo seu TCC, então ninguém entrou no seu quarto.

Direitos autorais: reprodução/arquivo pessoal.

A aprovação fez com que todos vibrassem, inclusive a equipe médica, que estava também aguardando o resultado. As amigas esperam continuar trabalhando juntas na área acadêmica, e Allison agradece a todos que ajudaram nesse momento tão difícil da sua vida. Foi o apoio e o carinho que fizeram com que ela conseguisse se tornar professora.


Menino pobre, que nunca teve sapato e jogava bola descalço, recebe doação de professor

Artigo Anterior

Policial foi flagrado dividindo o almoço com sem-teto e emocionou: “Continue com o bom trabalho”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.