Notícias

Depois de 60 anos, Toyota vai fechar sua primeira fábrica no Brasil, em São Bernardo do Campo

Foto: Depositphotos.com
toyota1

A Toyota anunciou nesta terça-feira que, no ano em que completa 60 anos de funcionamento, vai encerrar sua operação na fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC paulista. A unidade foi a primeira da companhia japonesa fora do Japão. No Brasil, em1962, começou fabricando o modelo Bandeirante.

Nesta planta são produzidas peças que equipam modelos no Brasil, Argentina e Estados Unidos. Agora, a fabricação será transferida para Sorocaba, Indaiatuba e Porto Feliz, todas cidades no interior do estado de São Paulo.

De acordo com o comunicado da empresa, a mudança será feita de forma gradual a partir de dezembro de 2022 com conclusão prevista para novembro de 2023.

A unidade a ser fechada tem cerca de 550 funcionários e, segundo a Toyota, “o movimento prevê manutenção de emprego, ou seja, será oferecida oportunidade aos colaboradores que hoje trabalham na operação do ABC paulista”.

Sindicato quer tentar negociação

A direção do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC disse ter recebido com surpresa a notícia do fechamento e considerou a decisão irresponsável com “a falsa justificativa de otimização de custos”. Segundo a entidade, não há motivos plausíveis para o fechamento da planta.

“Nos últimos anos, em toda as negociações com o Sindicato, a Toyota vinha insistindo que a planta não fecharia e que havia planos para a unidade e seus trabalhadores. A empresa chegou a comunicar o Sindicato que os produtos atuais garantiriam a permanência da fábrica pelos próximos três anos e afirmava que a unidade era produtiva, competitiva e lucrativa. Em todas as conversas com a montadora, pautamos questões relacionadas a investimento na planta”, argumentou o sindicato em nota.

Os sindicalistas se reuniram com os trabalhadores nesta tarde e disseram eperar que a empresa reveja sua decisão.

A Toyota, por sua vez, ressalta que segue investindo no país. Recentemente, a montadora ampliou o portfólio de produtos com a chegada do Corolla Cross, além de ter iniciado o terceiro turno em Sorocaba, aumentado as exportações de motores fabricados na planta de Porto Feliz e investido R$ 50 milhões em Indaiatuba, que produz o Corolla sedã.

0 %