Comportamento

Depois de perder a mãe, jovem escreve redação sobre a própria história de superação e passa em Harvard!

Abigail usou uma dolorosa experiência num dos momentos mais cruciais da sua vida: o ingresso na faculdade. Suas palavras comoveram a todos e garantiram sua vaga!



Perder um dos pais é o mesmo que perder um pouco de nós mesmos. O luto que enfrentamos, por vezes, nem sequer conseguimos compreender, principalmente quando a perda vem na infância ou adolescência. Perder um porto seguro, uma referência, um herói ou uma heroína, figuras que esperávamos nos acompanhar por toda a jornada da vida, é difícil demais.

Filha de artistas, Abigail Mack, de 18 anos, sofreu muito com a perda da mãe, que morreu de câncer há alguns anos. A alternativa que encontrou na adolescência foi se dedicar ao máximo de atividades extracurriculares que conseguisse (teatro, dança, esportes), além de tentar tirar as notas mais altas.

Para ela, essa foi uma maneira de tentar sentir o mínimo possível a falta da mãe. Assim, estando ocupada demais, ela não precisaria jantar com seu pai e sentir a ausência da figura materna em uma das cadeiras.


A jovem, que estava prestes a entrar na universidade, usou essa experiência na redação. Abigail queria ser sincera com as pessoas que leriam aquele texto, e falou abertamente sobre a aversão que tem com a letra “s”.

Por incrível que pareça, a honestidade da garota emocionou os professores que avaliaram sua redação e abriu as portas para uma das faculdades mais difíceis de entrar no mundo, Harvard.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@abigail_vmack.


Você pode estar se perguntando: mas como assim, uma redação sobre a letra “s”? Abigail falou sobre a raiva que sente dessa letra porque ela é capaz de formar plurais, ela tinha pais, mas hoje só tem o pai. Em inglês, existem 164.777 palavras com a letra “s” e a jovem revela que só luta contra uma: “pais”. Pode parecer injusto condenar uma redação inteira por conta do seu uso em 0,0006% do tempo, mas para ela foi o único caso que mudou 100% de sua vida.

Em sua emocionante redação, a delicadeza das palavras pôde ser percebida por quem a leu, e ela revela que enquanto a escrevia, o revisor gramatical de seu computador marcava uma linha azul embaixo da palavra “pai”, tentando lhe corrigir para o plural. Ela diz que até mesmo a gramática presumia que ela deveria ter ambos os pais, mas o câncer não deu ouvidos às sugestões de edição.

Essa mesma redação garantiu que Abigail entrasse em outras grandes universidades, como Northwestern e Notre Dame. A jovem fala com sinceridade quando diz que não conseguiu preencher a perda que a letra “s” deixou em sua vida, mas a quantidade de atividades que fazia pelo menos a ajudavam a se distrair.


Logo a menina percebeu que essa foi a forma que encontrou para descobrir do que mais gostava: teatro, pesquisa e política. A sua fuga da letra “s”, na verdade, acabou funcionando como uma forma de se movimentar em busca daquilo que deseja fazer na vida.

Três semanas antes do prazo que as faculdades tinham para decidir, Abigail recebeu uma Carta de Recomendação, que dizia que ela havia sido aceita antes da data de lançamento da decisão oficial, porque Harvard queria ser a primeira opção dela.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@abigail_vmack.


Abigail compartilhou sua redação em vídeos no TikTok, que tiveram mais de 1,5 milhão de visualizações. Ela explica que é importante colocar suas paixões na redação, não importam quais sejam elas!

O que achou desta história?

Comente abaixo e compartilhe-a nas suas redes sociais!


Mulher abandona namorado e carreira, acreditando que estava “escrito nas estrelas”, mas se arrepende!

Artigo Anterior

Jovem pede socorro em guardanapo após ser assediada pelo chefe em SC: ‘Por favor, não é brincadeira’

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.