3min. de leitura

Depois do fim: deixe fluir, agradeça pelo que foi, tudo aconteceu como deveria ser

Dentre as vivências mais desafiantes que podemos experienciar, certamente uma delas é a dor do divórcio.

A união de um casal sempre vem revestida de significantes especiais, expectativa de fortalecimento de laços, construção de projetos a dois, de família, de parceria. Quando isso não se torna possível, entretanto, o que ficam são sentimentos controversos, dúvidas, medos.


Buscamos respostas sobre o porquê não foi possível concretizar essa experiência, onde erramos; às vezes sobram mágoas, feridas, dores.

E o que fazemos com tudo isso?

Existem algumas alternativas possíveis, tudo dependerá de como você escolher se posicionar diante do fim.

É natural que sejam despertos sentimentos como raiva, rejeição, frustração e arrependimento, mas é fundamental que você não se apegue a essas sensações. A aceitação da experiência vivida ensinará que a separação não traz um fim em si, mas apenas uma nova oportunidade.


Deixe fluir, agradeça pelo que foi, tome consciência de que um ciclo se fechou, de que tudo aconteceu como deveria ser.

Independente dos rumos que a vida tomar, a sua dor passará (acredite nisso) e quando você menos esperar, estará vivendo novos projetos, novas experiências, novos amores.

Não tenha medo de chorar a sua dor (o tempo necessário). Se preciso, vá ao fundo do poço, mas não fique por lá, apenas o aprecie. Aproveite para se observar e lidar com suas sombras. Passe a entendê-las e aceitá-las!

Comece a se perguntar sobre os seus sonhos, seus desejos, leia bons livros, sinta-se linda, faça cursos, marque uma conversa com uma amiga que não vê há algum tempo, aprenda uma nova habilidade, viaje, aproxime-se da sua família, abrace os seus amigos, divirta-se!


Perdoe o seu passado, ame-se e agradeça a oportunidade de estar vivo.

Ao fazer essas coisas, você vai reencontrar uma pessoa muito especial, em uma versão repaginada, única e iluminada.

Seu novo eu vai agradecer pela experiência vivida, afinal, não fosse o fim, talvez fosse mais difícil desapegar-se da velha carcaça.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF / Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.