publicidade

A depressão é um casulo escuro e apertado, mas há luz exterior…

Dentro da depressão, há a palavra “pressão”.

Vou além, a “depressão de um terreno” pode ser literalmente um abismo. Muitas vezes, a resposta que buscamos, está naquilo que
não perguntamos.



Obcecados em uma solução enquadrada naquilo que já esperamos, ainda que as melhores soluções sejam inesperadas. Mas buscar o sentido das palavras nos ajuda a entender o significado do que sentimos.

Pressão também faz parte da opressão e nesse estado, nós nos rebelamos contra o que estamos sendo até então. É como uma doença autoimune, que o corpo estranha o próprio corpo. Comumente, tentamos justificar no que vemos fora de nós, mas aquilo que vemos é reflexo da autoimagem que estamos tendo. E se dentro não está bom, fora também não está.

Depressão não é apenas estado de espírito, também é físico como o terreno.

Nosso cérebro é associativo e uma ideia repetida inúmeras vezes, cria uma teia de raízes internas, que passa a agir quimicamente como uma dependência emocional. E nisso, sofremos. O sofrimento é um alerta que nos diz que saímos da estrada. Um termômetro interior que mede a saúde do espírito.O espírito também adoece e não raro, a doença no corpo é uma autorreflexão interior.

A depressão é um casulo escuro e apertado, mas há luz exterior. Aliás há mais do que luz, há a possibilidade de novos voos, desde que descubra que essa prisão também está modelando suas asas e com um pouco de esforço poderá descobrir um novo sentido de liberdade.

Uma liberdade que não se importa tanto com a condição do momento, mas especialmente, respeita à própria natureza. Respeita o talento possível, as limitações, as conquistas e mesmo as derrotas. Porque tudo é crescimento e crescemos até parados, porque mais uma vez, a vida continua acontecendo, mesmo estando no mesmo lugar.



Dói e dará a impressão de estarmos sozinhos, porque ninguém poderá passar este processo por nós. Este convite é pessoal e intransferível. Aceitá-lo é o começo da cura.

Aceitar que o problema é sempre uma oportunidade que nos desafia a desfiar os nossos nós para novas costuras. É uma reciclagem dos velhos hábitos e das nossas expectativas sobre viver.



Podemos olhar para o abismo e não ver o fundo ou escolhermos escalar e percebermos que o céu está logo acima.

Sei que muitos dirão que falta vontade e que toda motivação é cansaço. Natural que o corpo reaja assim à uma luta constante e para isso há paliativos: medicamentos, terapias, etc. Tudo isso removerá os sintomas, devolvendo a força perdida, mas a causa passa pelo autoconhecimento. E conhecer a si mesmo é o único tratamento definitivo.

Em um mundo acelerado e de aparências, andar devagar e enxergar o que não pode ser visto pode parecer um movimento na contramão.

Não viver esperando o final feliz, mas entender que a felicidade não está no fim, mas no caminho. E esse é o único caminho para a realidade.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.