2min. de leitura

Desacreditar do amor é desacreditar da autenticidade da vida!

Desacreditar do amor é burrice, ter dúvida sobre sua existência é passageiro, mas querer vivê-lo sempre será vital.  – Frederico Elboni.

Que atire a primeira pedra quem nunca se apaixonou, e consequentemente, sentiu-se vulnerável.


A gente acha que o coração pode nos ouvir, quando, na verdade, ele não está nem aí pra nós.

Lembra quando você disse que jamais se apaixonaria novamente, e quando percebeu, já estava suspirando de amores?

A verdade é que, no fundo, todo mundo gosta de se apaixonar. Essa adrenalina tem o poder de fazer com que nos sintamos vivos.  Nessas horas, não adianta controlar o coração. Ele é teimoso, não quer saber se você está preparado ou não, o amor simplesmente nasce, e quando você percebe, já é tarde demais.


Mesmo que dê errado, a gente gosta mesmo é de sentir as borboletas no estômago, ouvir músicas melosas, e sentir as pernas bambeando.

Entretanto, existem pessoas que têm medo de amar por conta de experiências passadas, e acabam achando que ninguém é digno de seu real afeto, desistindo antes mesmo de tentar algo novo.

Mas, no ápice da maturidade, descobrimos que desacreditar do amor é burrice, e que o tal sentimento está aí para nos ensinar lições grandiosas, e até nos arrancar alguns sorrisos quando genuíno.


Miseravelmente, precisamos de sua essência para nos trazer um fio de esperança, e preencher algumas lacunas da vida.

Afinal de contas, só o amor é capaz de nos levar ao chão com delicadeza. E assim tão vulneráveis, nunca fugimos dele. Iludido está quem se acha capaz de controlá-lo.

_________

Direitos autorais da imagem de capa: teksomolika / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.