ColunistasRelacionamentos

Desate o nó que te prendeu em quem nunca te pertenceu!

DESATE O NÓS QUE TE PRENDEU capa e dentro

Leia o texto abaixo ao som de Sia – Alive



O amor pode ser mal escrito e confuso, mas ainda funciona. Só é preciso dar uma chance!

Que mania absurda é essa de acharmos que o amor é algo que se encontra por aí? É uma busca louca nas baladas, nos barzinhos, nos aplicativos de relacionamentos, em cada estação do metrô, no trabalho, na faculdade ou em qualquer rosto ou corpo interessante que cruze o nosso caminho. Não é um jogo de esconde-esconde, assim como não é a brincadeira pega-pega. Já começamos errado: o amor é coisa séria e de gente grande. Definitivamente.

O amor não é apenas um cheiro, um toque, um beijo, um gesto. O amor é algo mais sólido, é um sentimento que transcende o nosso interior, refletindo no externo de forma alegre e contagiante. O amor apaixona. Quem se quer, esbarre com ele por onde passar. O amor é remédio, é cura, é solução imediata. O amor salva, resgata e ressuscita. O amor é vida, e constrói outros corações.


desate-o-nos-que-te-prendeu-capa-e-dentro

Quando estamos tristes, ansiosos ou eufóricos, o amor se mantém distante. O amor é uma certeza, e quando constatado em momentos de fragilidade, pode ser uma arma terrível contra a paz espiritual e a saúde mental. Não, ele não pode ser utilizado como um antibiótico para combater as suas crises de solidão e autoestima. Se persistirem os sintomas, o médico deverá ser consultado.

Por muitas vezes, escutamos as pessoas dizerem: “Quando eu menos esperava, quando eu já tinha desistido de procurar, quando eu estava descrente, o amor apareceu, do nada”. Vejamos, o amor não é trouxa. Ele se faz presente, quando vai ser bem tratado e valorizado. Ou seja, amor próprio é fundamental para, depois, amar uma outra pessoa.

O amor não deve ser a prioridade da vida. Antes de se estabilizar profissionalmente, antes de fazer amigos, antes de viajar, antes de curtir a vida, antes de morar sozinho, antes de correr atrás dos objetivos pessoais, antes de realizar os sonhos e descobrir o mundo. O amor não é uma garantia que, a partir do seu surgimento, tudo vai fluir e dar certo. Ao contrário do que pensamos, o amor não pode nos dar essa estabilidade em todos os setores. Na realidade, o amor espera uma brecha da nossa leveza para surgir, e então, sem máscaras e ou fantasias, fazer morada em nossas rotinas e colorir o que já existe vida.


Discordo completamente de quem afirma que ser feliz é uma tarefa difícil. Ser feliz, é ser simples e ver beleza, até mesmo nos pequenos detalhes, quase que imperceptíveis. Para o amor, existem duas condições: pegar ou largar. Não faça chantagens, cálculos ou cronogramas. De nada adianta, eu continuo defendendo o amor.

Pessoas felizes, são aquelas que administram as suas crises e conflitos, que aceitam e lidam da melhor forma possível com as oscilações de humor ao longo do dia, que oferecem sempre o melhor de si e que, em nenhuma hipótese, sentem vergonha de ser quem são ou deixam de assumir os seus erros. Somos todos humanos.

O amor é um troféu para os vencedores. Afinal, de nada adianta ficar procurando o amor como solução para tudo, quando, sendo mais sincera, o amor é apenas um mérito por você ter resolvido todos os seus problemas.

O amor é um lugar seguro, onde poucas pessoas descobrem o momento certo de pousar.


As cinco dimensões da comunicação…

Artigo Anterior

Diga não, chore em seguida, mas descubra os benefícios de ser você mesmo!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.