4min. de leitura

Desculpe-me, não me leve a mal, eu mudo, sim, sempre para melhor, para o meu melhor!

Nem todos sabem lidar com as mudanças, então pode ser que eu desagrade a uns e beneficie a outros…

Eu sei que nos falamos há pouco, eu sei que você talvez me conheça já há algum tempo, ou talvez acabamos de nos conhecer, e pode ser que você tenha uma ideia formada sobre quem eu sou.


Você julga minha aparência, minhas atitudes, meu comportamento, e aí, tem essa impressão de que realmente sabe muito sobre mim.

Talvez saiba sim, alguns detalhes, alguns defeitos, algumas qualidades, afinal, se não tivesse um pouquinho de tudo isso aí, eu não seria humana.

Mas é que, existe um ‘novo eu’, que você não conhece, porque todas as vezes que eu me despedaço, remonto os pedaços de uma maneira diferente.

O que ontem era fato, hoje virou lenda, o que era medo, hoje é vitória, tudo e qualquer coisa se torna possível, sempre que passo por uma de minhas metamorfoses.


Em um dia cinzas, no outro dia, fênix, às vezes dor, mas sempre amor, e quando ferida, deixo florir.

Sabe essa coisa de estar sempre buscando formas de melhorar, então, sou viciada nisso, não me contento, não me conformo, porque sei que existe sempre um motivo diferente para sorrir mais, para viver melhor, para ser mais grata.

Estou constantemente me descobrindo, reencontrando a mim mesma e isso me fascina, porque sempre que me encontro comigo e não gosto do que vejo, eu me reinvento, porque Deus foi tão generoso conosco, e nos deu esse poder incrível, chamado livre-arbítrio, onde eu e você podemos ser e fazer tudo o que quisermos, sempre que quisermos!


Diga-me se não é incrível ter esse poder?

Por isso, desculpe-me, não me leve a mal, eu mudo, sim, mas sempre para melhor, para o meu melhor.

Nem todos sabem lidar com as mudanças, então pode ser que eu desagrade a uns e beneficie a outros, muitos chamam isso de egoísmo, mas a grande verdade é que, trata-se de um ciclo vicioso, uma reação em cadeia, onde só posso fazer alguém feliz, se me fizer feliz, antes, só posso amar, se me amar em primeiro lugar, só posso ser energia boa, se eu me livrar da ruim, só posso ser uma boa companhia, se filtrar aqueles que estão a minha volta.

Não posso ser, sem antes estar.

Então, mude sim, sempre que preciso, a qualquer hora do dia ou da noite.

Alguns recomeços são muitas vezes confundidos com finais dolorosos, por isso, não tenha medo de ir embora, de deixar ir quem não quiser ficar, não tenha medo de grandes ou pequenas transformações, porque no final do dia, a decisão é sua, ou continua sendo lagarta, ou vira borboleta e voa.

__________

Direitos autorais da imagem de capa: rocketclips / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.