Comportamento

Desempregado, pai leva filho para vender churros na rua: “Quero ensinar o valor do trabalho”

Gastón perdeu o emprego com a pandemia, e isso fez com que sentisse ainda mais vontade de mostrar ao filho o valor do trabalho.



Cada família dá valor a uma coisa diferente. Existem aquelas que acreditam que a educação é o melhor caminho, outras que apostam nos relacionamentos e outras pensam que é o trabalho que engrandece o homem. Não existe jeito certo ou errado de educar os filhos e viver a própria realidade, cada casa tem uma cultura diferente e deve viver de acordo com aquilo em que acredita.

Em Comodoro Rivadavia, na Argentina, Gastón anda pelas ruas vendendo churros na companhia de seu filho, e acredita que essa é a melhor forma de ensiná-lo a valorizar todo o esforço que já fez na vida.

De origem humilde, o pai sempre trabalhou de maneira autônoma, e acredita que esse é o melhor jeito de empenhar sua mão de obra, construindo a própria forma de trabalhar e fazendo seus horários. Em entrevista ao jornal ADN Sur, Gastón conta que, desde a infância, trabalhou para conseguir aquilo que queria, desde brinquedos até comida.


Nascido em Corrientes, no norte da Argentina, ele trabalhou como artesão, e saía todos os dias junto com sua família para vender os acessórios que produziam juntos: bolsas, pulseiras, colares. Gastón conta que, certa vez, pediu um brinquedo a seu pai, e que ele lhe deu o melhor ensinamento que poderia existir, ensinando-o a trabalhar para consegui-lo.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Churrería Papá e Hijo.

Como eles viviam em condições precárias, tudo que produzia acaba sendo revertido para a alimentação diária ou subsistência, por isso ele nunca teve muitos brinquedos, como explica. A pandemia fez com que Gastón e seu filho, agora em Comodoro Rivadavia, pensassem em alguma forma de ganhar dinheiro.

No início da atual crise sanitária global, muitos países passaram a fazer isolamento social e quarentena, pedindo que o comércio fechasse e os cidadãos ficassem em casa. Isso foi um grande empecilho para os dois, já que sempre trabalharam vendendo aquilo que produziam.


Com o passar dos meses, a ideia de Gastón foi abrir um negócio de churros com o filho, saindo pelas ruas com sua barraquinha para conseguir ganhar o dinheiro de que precisam. Chamado de “Churrería Papá e Hijo”, eles têm uma página no Facebook e passam os dias juntos, tentando fazer com que a instabilidade econômica e social ao menos sirva de exemplo a quem precisa.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Churrería Papá e Hijo.

Gastón explica que gostaria de um emprego remunerado, mas isso não é motivo para se sentir intimidado, e tenta fazer o melhor com o que possui. O filho, além de uma companhia agradável, consegue aprender com os anos de experiência do pai, e até leva vários amigos para acompanhar a rotina dos dois.

Mesmo sem um emprego com carteira assinada, garantindo estabilidade, Gastón se orgulha de ter terminado o ensino médio e de nunca ter parado de trabalhar. Para ele, esse é o melhor exemplo que pode dar ao filho: o trabalho é o melhor caminho.


Carrinho de picolé de menino quebra e desconhecido ajuda comprando todos os produtos. Altruísmo!

Artigo Anterior

Bombeiros se despedem de fiel cão que trabalhou por 14 anos no quartel: “Era um de nós!”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.