Desperdício de idade

Infeliz daquele que não avança, que não perdoa, que não se reinventa – pois que desperdiça a única vantagem da idade: a sabedoria.

Vai envelhecendo para ver só. É inevitável ir angariando um monte de cicatrizes: físicas, sociais e emocionais. Mas são elas que forjam nosso caráter e personalidade. E nos garantem aprender algumas coisas.

A principal: que o ser humano está aqui para, através do autoconhecimento, evoluir!

Verdade verdadeira: se o seu propósito de vida não for ser melhor a cada dia, os anos vão pesar à beça.

Aviso: se ainda não caiu sua ficha a essa altura da vida, o que resta é mesmo se preocupar com rugas e flacidez, abandono, solidão, falta de utilidade.

Tão menos vida à frente e fulano guardando rancor. Tão poucos passos a serem dados e ciclano freando os dele para dar lição de moral em seus desafetos.

Ouça, não há demérito nenhum em buscar ser menos orgulhoso, arrogante, individualista, ou qualquer coisa do gênero. Se não consegue sozinho, procure ajuda.

Tem gente que, ao invés de aproveitar a idade para rever relacionamentos e ceder ou recriá-los, resolve ficar ainda mais duro do que sempre foi, valendo-se da lógica das desculpas mais fajutas do mundo, eventualmente reforçadas pelas frases feitas postadas nas mídias “antissociais”.

Infeliz daquele que não avança, que não perdoa, que não se reinventa – pois que desperdiça a única vantagem da idade: a sabedoria.

A felicidade cabe inteiramente no peito de quem resolve ser uma pessoa melhor. É quando tudo já vivido se justifica e se transmuta!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf / mimagephotography



Deixe seu comentário