4min. de leitura

Deus faz parte de minha trajetória, Ele é meu cúmplice em todos os momentos

Cresci, mesmo me sentindo menina; cresci, mesmo trocando os pés pelas mãos.



Acho que a cada dia que encontro uma resposta, que afasto meus monstros, que sinto mais paz no coração, é como se Deus chegasse colocando em minha alma o lenitivo necessário para seguir em frente.

Esse lugar onde habito, embora seja de partida e chegada, de idas e vindas, de descobrimento e percepção do que preciso, traz-me para mais perto do que acredito.

Eu não quero mais sentir essa coisa que me afasta do que é interessante, do que me faz dizer com o olhar. Nem tudo são flores, mas as pedras também ajudam a suplantar o caminho.


Essas vivências, esses “nãos”, esse vazio que, por vezes, parecem ser algo incômodo, na verdade, é só o planejamento de Deus para que eu me complete com uma vida mais serena e livre de um estado de inércia emocional e mental.

Ele está certo, Ele está na minha trajetória, assim como estou mais ligada a Ele internamente.

Muitas vezes, eu achei que fosse voltar para o mesmo buraco, muitas vezes, eu achei que não fosse suportar tantos baques. Na verdade, sou eu quem cria essa barreira à minha volta, sou eu quem me prende ao cárcere da dor ou à sanidade de dias mais esperançosos.

Eu vivo tudo sem planejamento, porque as coisas mudam em um segundo. Mas eu sei que preciso manter uma estabilidade, preciso parar de condenar meus passos, preciso parar de aceitar regras vindas de quem não me conhece, não sabe nada sobre mim, isso não me ajuda em nada.


Cada vez que volto e digo “chega!”, eu desperto o leão adormecido e me desperto para a força que me move, para coisas mais suaves e fundamentais.

Não existe fórmula, não existe bola de cristal, mas existe o que eu movimento e crio, o que atraio e o que não quero, o que penso, o que emito.

Eu não sou perfeita, não sou nada além do que escolhi. Já bastei, já cansei.

Hoje eu penso mais em mim. Não importa se o canto do sofá está vazio, se eu ainda não encontrei quem saiba dividir a vida sem que eu seja domínio pessoal ou introdução para discussões fúteis.

O café está na mesa, a luz de fora entra pela casa, o coração não está em busca de dramatização. Cresci, mesmo me sentindo menina; cresci, mesmo trocando os pés pelas mãos.

Não importa, realmente não importa. Eu estou vivendo, vivendo pelo que sou. O Universo lá fora respira comigo. Agradeço e seguro nas mãos de Deus. Acredito, confio!

Estamos juntos, somos cúmplices, somos parceiros de fé neste mundo de provas e expiações.

 

Direitos autorais da imagem de capa: Hannah Gullixson/Unsplash.

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.