Deus não precisa de nós. Somos nós quem precisamos dele!



Eram sete da noite de um domingo qualquer e fui convidada a um retiro. Sem ânimo algum disse para o meu amigo: “Se você pagar, eu vou”. Com a incredulidade de alguém que já sofreu muito na vida.

Já não acreditava mais em nada sobrenatural. Para mim, a intelectualidade dos homens era o que me bastava. Não conseguia acreditar no amor de Cristo enquanto eu vivia um inferno na terra.

No dia do retiro, veio-me uma vontade imensa de desistir. Só entrei no carro e fui ao encontro da igreja porque ele já tinha pago e quis honrar o compromisso. Logo quando cheguei no ônibus e tive que entregar meu celular, senti-me perdida. O retiro não permite o uso de celulares e muito menos de relógio. Não saber a hora e nem onde eu estava era perturbador. Tive que confiar em outras pessoas para, até mesmo, medicar-me na hora certa.

Mal sabia eu que teria os três dias mais intensos e importantes da minha vida. Foi o dia em que eu senti o amor de Deus agir sobre mim. 

O celular desligado tornou-se um alívio. Retirar-se da sociedade para viver para Deus confortou-me. Ele falou tanto comigo naqueles dias. Confirmou que nunca estive sozinha e que me ama tanto, antes mesmo que eu nascesse ele já lutava por mim. Maria me abraçou. Pediu para que eu levasse todas as minhas dores ao Pai. E aquele coração dilacerado deixou tantas coisas para trás. Aquele coração se fez novo. Foi restaurado.

Por que você se sente triste e sozinho quando você tem um pai? Você tem uma mãe. Eles jamais o abandonam e vivem todos os dias  guardando e honrando seu amor.

Três meses já se passaram desde que fui ao retiro e posso dizer que sou outra pessoa. Estou curada por dentro. Não há dinheiro ou noitadas que paguem o amor de Deus.

As pessoas se assustam com a minha mudança, porque até eu me assusto. Sinto-me leve… meus dias são mais esperançosos e minha alegria foi renovada.



É preciso buscar Deus todos os dias. Deus não precisa de nós, somos nós quem precisamos dele. Percebo quantas pessoas estavam esperando o meu ” sim”.

Aprendi que tudo aquilo de ruim que aconteceu na minha vida só tinham duas formas de me acontecer. Tornar-me forte através da dor ou me destruir. Hoje tenho sabedoria suficiente para agradecer pelos momentos ruins. Eles me tornaram quem eu sou e jamais teria passado por isso, se não pudesse aguentar. Ele sabia que eu conseguiria vencer. Sempre soube.

Não quero que as pessoas saibam pela minha boca o quanto Deus glorifica a minha vida. Quero que elas vejam em minhas atitudes o quanto Deus pode se fazer amor e gratidão na vida de um ser humano.

Enquanto eu tratava com descaso as coisas do céu, ele só me amou. E mesmo que eu o tenha negado vinte vezes, ele me aceitou. Aceitou como se nada tivesse acontecido, porque enquanto nós atacamos às pedras,  Jesus estende as suas mãos.

____________

Direitos autorais da imagem de capa: ra2studio / 123RF Imagens






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.