AutoconhecimentoEnergiasReflexão

Deus ouve o que você sente

Você já parou pra pensar sobre por que tanta gente boa, esforçada e cheia de primeiras intenções se dá mal no amor, no trabalho e em outras áreas da vida, enquanto pessoas nem tão boas, nem tão esforçadas e cujas intenções nem sempre são as melhores vivem se dando bem? Não? Pois olhe em volta quanta gente bacana nessa situação…



“Se somos mesmo todos um, se Deus é bom, se o que conta é o Bem, me explica por que isso acontece porque eu não entendo e tem horas que me revolto!”

“Ah, essa gente má que se dá bem um dia vai pagar por isso!”
“Ah, esses endinheirados que passam férias em Paris no fundo são infelizes!”


“Ah, Deus faz isso pra nos testar e na outra vida os bons vão se dar bem e os maus vão se f…”

Tá, tá, tá, nem termina que não pode escrever palavrão aqui. Eu já pensei nisso e essas três teses seriam perfeitas… SE tivéssemos certeza de que a gente má vai pagar por isso, de que os endinheirados que passeiam no Louvre são mesmo infelizes no fundinho e de que na outra vida o jogo vira.

Cá entre nós, você tem essa certeza? Eu não tenho.

E, não tendo, fico pensando se o Papai do Céu, na sua sabedoria, não está propondo uma charada pra humanidade. Imagine por um momento que Deus ou o Universo ou o Destino ou a Vida responde ao que você sente, às suas emoções, e não ao que você pensa ou quer ou diz.


Isso explicaria o porquê de tanta gente boa se dar mal e tanta gente não tão boa se dar bem, não é? E repare… Se você SE SENTE inseguro, medroso, carente, frágil, ansioso, esse é o resultado que você vai colher, mesmo com pensamento positivo, boas intenções, coração generoso e tudo o mais. É o que Deus ou o Universo ou o Destino ou a Vida vai providenciar pra você. E se o outro não é tão bonzinho, é até menos esforçado, mas SE SENTE empoderado, merecedor, seguro, ele vai colher resultados conforme esses sentimentos de autoconfiança: grana, Paris, bons frutos…

Mas como? – você pode perguntar. – Então Deus não quer que a gente seja bom?

Antes de pensarmos juntos nesta resposta, proponho outra pergunta. O que é “ser bom”? É ser generoso com os outros e mesquinho em relação a si mesmo? É ajudar os outros a ter confiança mas não ter confiança em si mesmo? É ter pensamento positivo mas sentimentos negativos? É dar carinho e atenção a todos e achar que não merecemos nos dar a mesma coisa?
Talvez Deus queira que, além de sermos bons nas palavras, pensamentos e intenções, também sejamos bons no nosso sentir a vida.


O que você acha?

Por Mariana Viktor

Agora é o seu momento!

Artigo Anterior

Viva a vida com mais inteligência!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.