ColunistasReflexão

Deveriam inventar o dia da preguiça, onde qualquer movimento fosse proibido, com exceção do amor

Deveriam inventar o dia

Quero pessoas sorrindo, indo e vindo, felizes, que se aproximem de mim com risadas, apenas porque têm algo de bom a dizer, ensinar, acrescentar ou aprender.



Quero música suave e dançar num ritmo inventado, quero beijos, amigos de verdade, daqueles que ficam, que nos procuram, que nunca nos abandonam, que demonstram que somos importantes, nem que seja por um instante e que esse instante se multiplique e se perpetue por muitos dias ou anos, que façamos planos.

Quero algo que me surpreenda, quero beleza e delicadeza, em cada gesto, de cada pessoa que se aproximar de mim. Desejo ruas seguras onde seja possível andar tranquila de mãos dadas com pessoas amadas, quero o retorno de uma certa paz do passado que consiga contribuir para um futuro melhor. Que seja tudo mais simples, menos complexo, menos denso, porque a intolerância com o outro já ultrapassou todos os limites da mania de não aceitação.

Educação é importante, mas simpatia faz toda a diferença nas interações sociais e minha intensidade me pede para viver em conformidade com minha essência, sem muito pensar, mas com consciência, alerta e aberta a cada momento.


Quero bom humor que extrapole em forma de sorrisos, de piadas, histórias engraçadas, de compreensão, e que inventem o dia da preguiça, um dia em que todo mundo tenha preguiça de tudo e principalmente de brigar.

Valerá apenas dormir e sonhar, ou sonhar acordado com um mundo melhor. Deveriam inventar esse dia, quando não haveria nada, nem corrupção, ganância, reclamação, ignorância, muito menos preconceito. Um dia no qual o mundo teria jeito.

Deveriam inventar um dia assim, totalmente silencioso, onde as pessoas pudessem ouvir os ruídos (bem-vindos) da natureza, um dia cheio de beleza e cores, que na verdade sempre esteve ali, mas que nunca foi reparado como deve ser um dia, como devem ser todos os dias.

Deveriam inventar o dia da preguiça, onde quaisquer movimentos fossem proibidos, com exceção do amor, esse sim permitido e bem sentido em qualquer dia real ou inventado. 


Quero muitos dias tranquilos, cheios de encontros, de carinho, dias de beijar devagarinho, de paixão, mão na mão, olho no olho e sedução. Vamos seduzir uns aos outros no campo do conhecimento porque não há nada mais interessante e instigante do que as diversas individualidades em manifestação.

Aproveitando, vamos queimar na fogueira das vaidades tudo o que não nos cabe mais, a saber: ignorância, arrogância, deboche, exclusão social, a lista é extensa.

Quero ver pessoas que não se calem tanto quando têm muito a dizer, que não tenham que engolir o pranto e disfarçar a dor com um sorriso, porque não é aconselhável ser espontâneo, já que o outro pode ficar ressentido com sua tristeza ou felicidade.

Quero verdade, porque é mais simples assim. Coisa mais sem sentido é não demonstrar um mínimo de emoção.


Nunca entendi isso, porque temos que deixar omisso nosso sentimento? Em que momento precisamos fingir, já que a mentira nunca cai bem? Para ninguém? Ser espontâneo não custa nada e nos alivia de um peso desnecessário, porque temos às vezes a mania de trancar tudo, inclusive vitórias e sucessos, porque ouvimos dizer que é melhor assim e escutamos também muitas outras teorias e crenças que todos acolhem como se fossem únicas verdades, mas se cada pessoa é um mundo, isso é muito frágil para ser aceito como supremo.

Quero dias, pessoas, momentos, sentimentos de qualidade, quero muito ver as pessoas conquistando seu espaço em comunhão e gratidão com tudo o que o universo sempre oferece.

Quero fazer parte do seu melhor sentimento, da sua prece, mesmo que por um momento, mesmo que seja fugaz. Tanto faz!

Quero surpresa boa, brilho, mais gente andando no trilho da esperança, quero inocência de criança em cada gesto de cada pessoa que se aproximar de mim; que seja assim.


E que eu possa devolver todo esse bem multiplicado, desenfreado, pelos caminhos que ainda precisamos, queremos e vamos percorrer. E vencer!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: sonjachnyj / 123RF Imagens


Exercícios mentais para otimizar sua visão pessoal…

Artigo Anterior

Ser mulher em tempos de guerra…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.